Crianças inglesas terão aulas de programação a partir dos 5 anos

Uma reforma no currículo educacional na Inglaterra tem o objetivo de ensinar crianças a elaborar os seus próprios programas. A idéia é que elas não sejam apenas meras utilizadoras do computador, mas entendam seu modo de operação, e controlem o seu funcionamento para criar o que queiram.

Imagem criada por Wesley Fryer "Scratch Scripts to move in a circle" disponibilizada por licença CC-BY-SA no site Flickr Imagem criada por Wesley Fryer
“Scratch Scripts to move in a circle” disponibilizada por licença CC-BY-SA no site Flickr

Esta é uma das principais propostas da mudança do currículo escolar na Inglaterra, que envolve o ensino de programação a crianças a partir dos 5 anos de idade.

A iniciativa é vista como ambiciosa e tem gerado controvérsias. Por um lado é percebida como uma solução que vai surtir resultados a longo prazo para o déficit de profissionais qualificados, mas para ativistas da tecnologia as habilidades de programação beneficiam as crianças em outros aspectos, tornando-as mais criativas, e despertando o pensamento lógico, e a curiosidade sobre a forma como as coisas são construídas. Conforme afirma Bill Mitchell da BCS (Academy of Computing Board) “Quando você aprende computação, você está pensando sobre o pensar”.

O investimento intenso de empresas privadas como Google e Microsot ao financiar projetos de formação de professores também tem gerado polêmica. Renunciou ao cargo em agosto, Linda Sandvik, diretora do Code Club, umas das entidades que participa neste processo formativo. Linda afirma ter recebido ordens para não criticar patrocinadores (Google) a respeito de questões como por exemplo a vigilância em massa. Representantes do Google negam qualquer orientação neste sentido. Outra crítica realizada por representantes de professores é sobre a falta de preparo, em relação a uma implementação apressada das reformas.

O novo programa irá atingir mais de 5 milhões de alunos com idade entre 5 e 14 nas escolas públicas inglesas. Estão incluídas outras mudanças importantes como a introdução de uma língua estrangeira obrigatória mais cedo, ao invés de aos onze anos, aos sete anos de idade.

Referências:

Telegraph
Five-year-olds to be taught computer programming and foreign languages

The Guardian
Coding at school: a parent’s guide to England’s new computing curriculum por Stuart Dredge

UOL
Ingleses passam a ter aulas de programação a partir dos 5 anos

PandoDaily
UPDATED: Code Club cofounder resigns after being ordered not to criticize Google por David Holmes

Colaborou: Francisco Arlindo Alves