Série de bate-papos e debates sobre mulheres e tecnologia no SESC Belenzinho

Nos dias 17 a 21 de março de 2015, acontece no SESC Belenzinho uma série de bate-papos e debates no âmbito da programação do “Mulheres em Cartaz” com foco em questões relacionadas as mulheres e a tecnologia.

mulheres em cartaz_sesc2

Conforme divulgado pelos organizadores, o que se propõe é “trazer ao público uma série de atividades de caráter multidisciplinar que referenciam o protagonismo feminino em diferentes áreas culturais, com destaque para as artes visuais, tradição oral, a literatura, a moda, as ciências, a tecnologia, a saúde etc.”.
As inscrições podem ser realizadas pessoalmente no SESC Belenzinho localizado na Rua Padre Adelino, 1000, próximo ao Metrô Belém.
Segue a programação:

17/3. Terça, às 19h
Ciência, Tecnologia, Mulheres e Ciborgues” com Francisco Arlindo Alves
Bate-papo sobre os processos de conjunção entre o humano e a máquina, e as transformações sociais e no cotidiano das mulheres a partir deste fenômeno. A discussão tem por base a obra “Manifesto Ciborgue” de Donna Haraway, que completa 30 anos de sua publicação.
18/3. Quarta, às 19h
Ciberfeminismo: Atualizando Novos Discursos do Feminino em Redes Eletrônicas” com Nina Gazire
A jornalista Nina Gazire discursa sobre as origens do termo ciberfeminismo através da relação entre tecnologia e feminismo, com base em suas investigações realizadas durante seu projeto de mestrado, sob orientação de Giselle Beiguelman. Serão traçados paralelos entre o movimento norte-americano Arte Feminista, a Internacional Ciberfeminista, presente durante a Documenta X, realizada em Kassel no ano de 1997; e a popularização das teorias de Donna Haraway dentro do feminismo acadêmico. A partir destas três perspectivas, pretende-se atualizar os desdobramentos do conceito de ciberfeminismo na sociedade atual.
19/3. Quinta, às 19h
Construção da Identidade Feminina na Rede: Arte, Atitude e Ativismo” com Kit Menezes e Karine Batista.
Esta palestra tratará das novas possibilidades de luta e ação que se estabelecem através da organização e redimensionamento de inúmeros movimentos sociais – entre eles o feminista – que se articulam através de redes sociais. Partindo da apresentação de mulheres artistas e ativistas que se manifestam, constroem e reafirmam suas identidades, alheias a padrões socialmente concebidos, serão discutidos casos de ativismo que ganharam repercussão como Marcha das Vadias e Eu Não Mereço Ser Estuprada.
20/3. Sexta, às 19h
Relato de Experiências: Minha Voz e Think Olga” com Daniela Rozados, Juliana de Faria e Bárbara Castro
Neste encontro, articuladoras de ações e movimentos em prol das mulheres, relatam experiências e trabalhos que vem sendo desenvolvidos para aprimorar discussões relativas ao papel social da mulher e seu poder de mobilização. Serão expostos os projetos Minha Voz, desenvolvido no Hackaton de Gênero e Cidadania, e o Think Olga, que entre os trabalhos realizados, destaca o mapeamento da violência contra a mulher, divulgado através da campanha Chega de Fiu Fiu.

21/3. Sábado, às 14h30.
Café Tecnológico
Debate: A Construção da Personagem Feminina nos Games
Especialistas ligados a estudos de narrativa, construção, design e jogabilidade discutem de que forma as personagens femininas são desenhadas em videogames e, consequentemente, sua responsabilidade social nestas construções. Se a representação do mundo tecnológico foi modificada com a chegada dos videogames, o papel da mulher dentro deles foi modificado também, e este será o foco de reflexão desta apresentação.
Mediação: Artur Palma Mungioli.
Convidadas: Renata Gomes e Maria Goretti Pedroso Soares