Sobre a célula sintética

Tem produzido grande repercussão em todo mundo, o anúncio da criação da primeira célula sintética pela equipe de investigação liderada por Craig Venter do J. Craig Venter Institut, publicado em artigo da edição de 20 de maio da ScienceExpress.

imagem original: J. Craig Venter Institut

A evolução da ciência genômica nos últimos anos, se direcionou no sentido de permitir a “leitura” do código genético dos organismos vivos através do seqüenciamento do seu DNA. As informações identificadas no processo são inseridas em computadores de forma que a composição química do DNA seja convertida em “zeros” e “uns”. O anuncio feito esta semana, apresenta a possibilidade de inversão deste processo, de forma que a partir dos “zeros” e “uns” gerados por um computador se possa definir as características de uma célula viva, ou seja indica o surgimento da capacidade de escrever o software da vida, inaugurando uma nova era na ciência. É possível vislumbrar uma enorme quantidade de aplicações, como a produção de bactérias úteis, que podem ser utilizadas em novas vacinas e medicamentos, biocombustíveis, ou na limpeza do meio ambiente.

O artigo publicado relata que os cientistas conseguiram produzir em laboratório um genoma sintético e transferi-lo para a célula de uma bactéria (Mycoplasma mycoides), o mesmo substituiu o DNA original do organismo, passando a controlar a célula.

Várias discussões em torno do assunto circundam as esferas da ética, da ciência e da religião. O governo americano solicitou imediatamente um estudo à comissão de bioética da Casa Branca, para levantar os limites éticos implicados na questão. Ao mesmo tempo autoridades católicas italianas, mostraram perplexidade ao declarar que a pesquisa seria um “devastador salto ao desconhecido”.

Em declarações reproduzidas em artigo do Pesquisa Fapesp, o pai da célula sintética, Craig Venter afirmou que “trata-se de um avanço tanto filosófico como técnico”, e acrescentou que a célula sintética criada seria “a primeira espécie que se autorreplica do planeta cujo pai é um computador”.

imagem original: J. Craig Venter Institut

No intuito de esclarecer possíveis equívocos, especialistas têm se manifestado sobre o tema. Em artigo publicado no Correio Brasiliense, Mayana Zatz, diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano da Universidade de São Paulo (USP), afirma que “os pesquisadores transformaram uma célula viva em outra célula. O que foi colocado de diferente é o genoma. O certo, então, é falarmos em uma célula programada”. No mesmo artigo, Marcelo Briones, chefe da disciplina de microbiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) afirma que “há uma grande diferença entre biologia sintética e vida artificial”. A longo prazo, várias são as possibilidades existentes, inclusive, de desenharmos um organismo do jeito que quisermos”.

Referências:

Pesquisa Fapesp
O impacto da biologia sintética

J. Craig Venter Institute
First self-replicating synthetic bacterial cell

O artigo publicado na edição de 20 de maio da ScienceExpress
Synthetic Biology Breakthrough

Correio Brasiliense
Primeira célula com DNA semi-sintético causa reações do governo dos EUA e da igreja

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Tecnologias emergentes

A tecnologia pode mudar o mundo? Este é o questionamento que a Technology Review propõe em sua seleção anual que tradicionalmente elege as 10 mais importantes tecnologias emergentes. A publicação apresenta uma série de inovações tecnológicas que demonstram grande potencial futuro para produzir mudanças no mundo. Segue abaixo uma breve descrição desta lista:

Real-Time Search – Uma nova maneira de buscar informações na Web. A ferramenta de busca do Google, tradicionamente ordena dos seus resultados considerando os links, a autoridade, e a relevância acumulada no decorrer do tempo. Real-Time Search oferece uma nova maneira de pesquisar, que consiste no monitoramento dos fluxos de informação segundo a segundo, possibilitando a produção de resultados diferentes a cada momento, de modo a proporcionar a análise em tempo real de eventos em mutação.

Social TV – Junção de televisão e rede social. A idéia está baseada no pressuposto de que a interação entre as pessoas nas redes sociais na internet, produz a discussão em torno de alguns programas de TV, que conseqüentemente apresentam um aumento na audiência. A Social TV permitiria que telespectadores em lugares diferentes pudessem compartilhar e discutir, o que facilitaria a busca de algo para assistir.

Celulares 3D – Celulares em que as imagens “saltam” da tela e são exibidas em 3D, sem a necessidade de óculos especiais.

Engineered Stem Cells – Células-troncos criadas a partir de células adultas (sem necessidade da utilização de embriões). Podem substituir tecidos danificados ou doentes, e além disso, permitem produzir tecidos a partir de células doentes, o que poderá oferecer uma melhor observação das doenças, como ela se desenvolvem e permitir um rastreamento dos seus processos moleculares.

Concreto verde – Um novo tipo de concreto que armazena o gás carbónico dentro do cimento, e reduz as emissões globais de carbono que são responsáveis por 5 por cento de todas as emissões no mundo.

Implantes eletrônicos – Feitos a base de seda, podem oferecer uma imagem mais clara do que está acontecendo no interior do corpo humano. Possibilitam monitorar doenças crônicas ou estados pós-cirúrgicos, sem causar reações imunológicas. Têm a vantagem de não gerar reações imunológicas, são biodegradáveis e podem ser dissolvidos dentro do organismo.

Biocombustível produzido por microrganismos fotosintéticos – A tecnologia se baseia em microrganismos modificados que utilizam a luz solar para converter eficientemente o dióxido de carbono em etanol ou diesel.

Anticorpos de dupla ação – Anticorpos modificados em laboratório que podem ligar-se a dois antígenos diferentes simultâneamente, reduzindo potencialmente a quantidade de medicamentos necessários para tratar doenças.

Light-Trapping Photovoltaics – Tecnologia de nanopartículas que pode tornar células solares muito mais eficientes na conversão de luz em eletricidade.

Cloud Programming – Desenvolvimento das linguagens de programação, para que seja possível construir rapidamente qualquer tipo de aplicativo que rode na nuvem ( ou seja, a partir de um servidor na rede, e não na máquina do usuário). Pode ser usada na criação de plataformas para redes sociais, ferramentas de comunicação, assim como aplicações em tempo real, como jogos multiplayer MMORPG (Massive Multiplayer Online Role Playing Game) e softwares para monitorar sinais de um terremoto ou tsunami.

Link para o artigo da Technology Review:

http://www.technologyreview.com/tr10/?a=f

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Dica do Bruno Lima

causa(s) mortis: entre stress, pesticidas e celulares

Em 2006, pedi que os alunos de design de interfaces fizessem uma pesquisa sobre as causas mortis de colônias de abelhas em vários países e continentes.  Hoje saiu mais uma matéria sobre o assunto na FAZ:  há mais controvérsias sobre causas da ” Colony Collapse Disorder”  do que sobre impactos do fenômeno na economia dos vários países.

http://www.spiegel.de/video/video-17343.html

Solar Impulse, avião movido a energia solar faz primeiro voo

O primeiro avião tripulado completamente movido a energia solar, o Solar Impulse, decolou em um aeroporto militar na Suíça na semana passada.
http://www.youtube.com/watch?v=orfHNIRayXE
O avião tem asas com largura semelhante a um Boeing 747 e possui 12.000 células solares, 880 quilos de baterias de lítio de 10 cavalos e quatro motores elétricos. O voô atingiu a altitude de 1.200 metros e várias manobras foram executadas no intuito de testar sistemas de controle e verificar o comportamento em comparação com os cálculos do simulador de vôo. A aeronave esteve no ar por 87 minutos até a sua aterrisagem com segurança na cidade suíça de Payerne.

O suíço Bertrand Piccard, que lidera a equipe do projeto, tem como próxima meta pilotar o avião solar ao redor do mundo em 2012. Um dos desafios a superar visando este objetivo é a busca de uma maior confiabilidade na capacidade de armazenamento de energia das baterias para um vôo noturno. Para antes de julho deste ano estão previstos testes para aferir esta capacidade.

O objetivo principal do projeto é demonstrar que as energias renováveis já estão prontas para substituir combustíveis fósseis, por meio de novas tecnologias que podem poupar recursos naturais.

Site do Solar Impulse

Fontes:  Kurzweilai.net, BBC Brasil, Business Green

Colaborou:  Francisco Arlindo Alves

Arte e consumo de energia

nuage

Fonte da imagem: Andreas’ mini-blag

Criar projetos artísticos que provoquem a reflexão sobre questões concernentes ao consumo de energia e exibi-las em espaços públicos ou na internet. Esta é o desafio proposto pelo Art e Energy a uma seleção de artistas convidados. O projeto, organizado pelo Pixelache, um festival de arte eletrônica que acontece em Helsinki desde 2002, tem apoio da Helsinki Energia, uma das maiores empresas do ramo de energia da  Finlândia.

A iniciativa é inspirada em parte no trabalho Nuage Vert (Nuvem Verde, reproduzida em imagem acima), ganhador do Ars Electronica Golden Nica 2008. A obra iluminou o céu de Helsinki com auxílio de um lazer de alta capacidade, proporcionando a  criação de uma visão estetizada da fumaça que saia de uma alta chaminé,  que simbolizou a poluição ambiental causada pelas emissões de carbono.
Foram desenvolvidos vários projetos:

Andy Best”  consiste numa escultura cinética que utiliza os recursos de  sistemas de micro-controles (Arduino), e se modifica conforme o níveis de consumo de energia se alteram. Pode ser produzida em qualquer escala, e ser instalada numa casa ou escritório, ou como uma grande escultura virtual pública de um bairro inteiro, sensibilizando as pessoas sobre o padrão de consumo de energia existente, e de maneira muito simples.

Blink Blink Helsinki aka at Home é um projeto que incentiva a uma ação coletiva da pessoas em suas casas convidando-as a piscarem as luzes de suas casas num determinado padrão chamando atenção para o consumo de energia.
Energy Fame: Projeta luz de forma não invasiva sobre as pessoas transformando  cidadãos em um espetáculo de luz com representações do consumo de energia.

As propostas estão abertas a sugestões de moradores de Helsinke, especialistas em energia e artistas ligados a arte e tecnologia. No Festival PixelAche 2010 serão exibidos alguns protótipos das propostas
http://www.pixelache.ac/helsinki/art-and-energy/

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Digital Encyclopedia of Charles S. Peirce

A  Digital Encyclopedia of Charles S. Peirce é a primeira enciclopédia on-line que reúne o trabalho de Charles S. Peirce,  e  trabalhos inspirados em seus diversos campos de investigação como a Filosofia, Lógica e Matemática, Psicologia, Etnologia, Antropologia , Sociologia, Comunicação, Estética, entre outros.

http://www.digitalpeirce.fee.unicamp.br

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Corpo_Espaço:

notas, rotas e projetos…é o título de minha tese de Doutorado, defendida na ECA-USP em 2002. Corpo_Espaço é a relação que permeia a pesquisa desde os 90. De lá para cá tenho desenvolvido vários projetos que tem o enfoque na relação corpo_espaço  e em conceitos de espaço. Esses tem sido em co-autoria, colaboração e parceria com artistas, designers, arquitetos, cientistas, semioticistas, filósofos etc. A tecnologia é convocada conforme o projeto, há projetos nos quais a tecnologia é completamente voltada ao corpo, à cognição e desafios dados por técnicas, física e movimentos de bailarinos. Em maio experimentamos esse entrelaçamento lá em BH.