Começa a CryptoRave, com 24 horas de oficinas, exposições, debates e palestras

Hoje, 19hs, 11 de abril de 2014, começa a CryptoRave, uma maratona de 24 horas de atividades sobre segurança, criptografia, hacking, anonimato, privacidade e liberdade na rede.
cryptorave
O evento acontece Centro Cultural De São Paulo, e abrange oficinas, exposições, debates e palestras visando popularizar e difundir conceitos visando possibilitar que as pessoas comuns tenham “condições de defender sua privacidade e proteger suas informações”. Entre os variados temas que serão abordados estão o jornalismo investigativo, espionagem, cyberguerras, biometria, criptomoedas, liberdade na rede, neutralidade da rede, criptografia para mulheres, e os direitos do consumidor na internet.

O conjunto de convidados abrange pesquisadores, ativistas e jornalistas como Klaus Wuestefeld, Jorge Stolfi (UNICAMP), Bob Fernandes (jornalista), Natália Viana (Agência Pública), Sérgio Amadeu (UFABC), Bruna Provazi e Jérémmie Zimmermann (La Quadrature du Net), e muitos outros.

Conforme divulgado pelos organizadores, a CryptoRave segue a lógica das cryptoparties eventos que ocorrem em diversos países e “fazem parte de um esforço global de popularizar o uso de ferramentas de criptografia para ampliar a segurança das pessoas que se comunicam nas redes digitais”.

As atividades ocorrem no Piso Caio Graco do Centro Cultural De São Paulo e a participação é aberta mediante inscrição online gratuita.

Colaboração: Francisco Arlindo Alves

Encontro online discute o presente e o futuro dos Recursos Educacionais Abertos (REA)

No dia 15 de março de 2014, no horário das 11h às 12h30, a educação aberta e Recursos Educacionais Abertos (REA) são discutidos em encontro online: “Presente e Futuro – Planejando os próximos 5 anos: encontro da comunidade brasileira REA.br“.

openeducationweek

O evento ocorre em comemoração à Open Education Week (Semana de Educação Aberta), evento internacional que discute a Educação Aberta.

Recursos Educacionais Abertos conforme descrição da UNESCO “são materiais de ensino, aprendizado e pesquisa em qualquer suporte ou mídia, que estão sob domínio público, ou estão licenciados de maneira aberta, permitindo que sejam utilizados ou adaptados por terceiros”.

A Comunidade REA-Brasil é composta por “educadores, cientistas, engenheiros, profissionais de TICs, advogados, e toda e qualquer pessoa que acredita em educação aberta e recursos educacionais abertos visando a construção de uma educação mais democrática, inclusiva e mais próxima a cultura colaborativa da Internet”, em definição do site REA.br.

A moderação do encontro é de Débora Sebriam e Priscila Gonsales (Instituto Educadigital/REA.br).

Participam do debate Oona Castro e Luiz Augusto (Wikimedia Community User Group Brasil), Jamila Venturine (USP), Romero Tori e Rodrigo Filev (USP e eMundo), Rafael Pezzi (UFRG e OKF-Br) e Marcelo Akira (UFG e membro comunidade REA.br).

Conforme divulgado pela organização “apresentadores também vão falar sobre o projeto de mapeamento de REA no Brasil e América Latina”. Serão exploradas “parcerias e compartilhar informações sobre os projetos atuais e nossos sonhos para progredir com REA no Brasil. Um relatório dessa discussão será posteriormente publicado no site do REA.br“.

O encontro ocorre via ferramenta Hangout do Google (o link será disponibilizado às 10h40).
As informações sobre como participar estão em página do rea.net.br

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Fórum sobre Educação Aberta permite participação online e gratuita

Está aberto para participação online e gratuita o fórum para discutir o tema: “Rumo à Educação Aberta no Brasil com REA e EAD: oportunidades e desafios na educação básica“.

openeducationweek
O Fórum compõe parte da programação do Open Education Week 2014, evento internacional que ocorre de 10 a 15 de março de 2014, e busca aumentar a consciência do movimento de educação aberta. A moderação da discussão é de Paula Ugalde (Telecentro Info.com – RS), Cláudio Kirner (Universidade Federal de Itajubá – MG), Cristiana Mattos Assumpção (Colégio Bandeirantes – SP) e Francisco Velasquez (Secretaria Municipal de Educação do RJ).

A Educação Aberta constitui um tema de grande importância nas discussões sobre educação no contexto internacional. Suas práticas visam ampliar as oportunidades de acesso ao conhecimento por meio de recursos educacionais abertos, tanto por meio de plataformas tecnológicas que permitem a intercomunicação, acesso e inovação, como por meio de instrumentos legais (licenças abertas) que garantem a liberdade para compartilhar reutilizar e modificar materiais. Desta forma é possível combinar recursos para construir coisas novas, ampliando as possibilidades para alunos e educadores em todo o mundo.

Dica da Paula Ugalde

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Improvisation Machine de Annika Frye

Improvisation machine (máquina de improvisação) é um mecanismo configurável de produção experimental que visa favorecer a variação de formas ao invés da repetição da fabricação em série.

Um dos destaques da exposição Adhocracy (já comentada anteriormente neste blog), o sistema construído pela designer alemão Annika Frye permite a produção de itens únicos por meio de uma máquina de rotomoldagem movimentada através de uma simples furadeira sem fio.

Improvisation_Machine-1

As peças são criadas a partir de um molde preenchido com um material feito de gesso-polímero molhado. Suspensos numa armação feita de tiras de tecido, os moldes são rotacionados pela máquina ao se acionar a furadeira num encaixe específico. Com o movimento o material se espalha ao mesmo tempo em que seca e se fixa no molde. O material é um gesso especial que endurece dentro de pouco tempo (30 minutos) e se assemelha à cerâmica com a vantagem de ser mais leve.

Improvisation_Machine

Depois da secagem, os objetos são lixados a partir do exterior, e seu interior é coberto com verniz. Alguns são cortados com uma serra, a fim de criar um recipiente ou um vaso. Desta forma, a parte superior e a parte inferior de um vaso, recipiente ou prato pode ser produzidas dentro de um molde único. Os moldes de plástico são criados a partir de uma folha plana, que ao ser dobrada produz formas geométricas simples, adaptando uma rede baseada em octógonos tesselados, permitindo que o padrão possa ser facilmente alterado.

Com características que remetem a cultura DIY e ao open design, Improvisation machine se contrapõe a uniformização dos produtos ao incorporar a espontaneidade e a imprevisibilidade no processo de produção em série.

Referências:

Dezeen
Improvisation Machine by Annika Frye

Share Design
Annika Frye’s ‘Improvisation Machine’

Annika Frye
The improvisation machine

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Chamada de trabalhos: design processes

Até 18 de fevereiro de 2014, trabalhos relacionados ao tema “design processes” podem ser enviados em formato de resumo pelos interessados em participar da 5 ª edição da STS Italia Conference será realizada em Milão, Itália, de 12  a 14 de junho 2014.STS ITALIA

O evento é centrado em diversos aspectos do estudo social dos processos de inovação, tecnologia, ciência e design. A organização é da Società Italiana di Studi sulla Scienza e la Tecnologia em colaboração o Politecnico di Milano Doctoral School in Design.

Para esta edição estão confirmadas as presenças dos palestrantes: Kjetil Fallan (Universidade de Oslo), Sheila Jasanoff (Universidade de Harvard), Elizabeth Shove (Universidade de Lancaster) e Charis Thompson (London School of Economics).

Para efetuar as submissões e obter mais informações é preciso acessar o site do evento.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

 

Chamada de artigos: Liinc em Revista

Até dia 8 de julho de 2014, artigos que abordem o tema “Desafios contemporâneos à produção colaborativa em ciência, tecnologia e inovação” podem ser submetidos para a publicação Liinc em Revista.

liinc

Os trabalhos selecionados vão compor um dossiê organizado pelas professoras Maria Lucia Maciel (UFRJ) e Sarita Albagli (IBICT) na edição de número 2, volume 10, de novembro de 2014.
A Liinc em Revista é coordenada pela UFRJ e o IBICT, e publicada pelo Laboratório Interdisciplinar em Informação e Conhecimento.

Mais informações no site da publicação.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

A arte de Cyrus Kabiru

Cyrus Kabiru Art1
Cyrus Kabiru é um pintor e escultor autodidata nascido em Nairobi (Quênia) que faz uso de materiais reciclados encontrados nas ruas para criar obras que se situam entre a moda e a arte vestível.

Seus trabalhos foram exibidos na Exposição Adhocracy, comentada em post anterior, evento que questiona a própria definição de design, por meio das transformações no processos de fabricação e criação.
Cyrus Kabiru Art2
As pinturas de Kabiru são retratos humorísticos da vida contemporânea no seu país, ao mesmo tempo, sua obra escultórica encarna seu papel como um “coletor” de materiais reciclados de sua cidade.
Cyrus Kabiru Art3
Atualmente, se concentra em uma série que retrata a natureza africana usando milhares de tampas de garrafa costuradas. Seu trabalho mais conhecido é a série C-STUNNERS, que consiste em criar e usar óculos bifocais artísticos.

O artista relata que em sua infância vivia num local próximo de onde eram despejados grandes quantidades de resíduos. Este ambiente marcou profundamente sua memória, e sobre isso ele afirma (em tradução livre) “Eu costumava dizer ao meu pai que, quando crescesse, queria dar ao lixo uma segunda chance.”

Referências:

NYTimes.com
In the Shifting World of Product Design, the User Now Has a Voice

TED Blog
No art, no life: Fellows Friday with Cyrus Kabiru por Karen Eng

ZUPI
Conheça o trabalho de Cyrus Kabiru por Lígia Cristaldi

 

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Oficinas gratuitas no Sesc Belenzinho em fevereiro e março

sescbelenzinho

Ainda é possível se inscrever para as oficinas, cursos livres e bate-papos gratuitos que acontecem nos meses de fevereiro e março no Sesc Belenzinho.As atividades envolvem diversas linguagens visando aprimorar a formação, a experimentação e a pesquisa.

sescbelenzinho

O espaço de cultura digital na unidade é estruturado por meio de  laboratórios que abrangem temas como criação de games e músicas, fotografia, edição de vídeo, edição de imagens, discussões sobre a cultura DIY (Do It Yourself/Faça Você Mesmo), direitos autorais abertos ou as possibilidades do uso software livre para formatação de trabalhos acadêmicos.

Seguem abaixo as datas e atividades:

 

DESIGN.LAB

Fevereiro

11/02 a 27/02.
Terça e quinta, das 10h às 12h.
Edição de Imagem: Tratamento e Criação com orientação de Vanessa Pereira

12/02 e 13/02.
Quarta e quinta, das 15h30 às 18h.
Formatação de trabalhos acadêmicos com orientação de Francisco Arlindo Alves

15/02 a 16/02
Sabados e Domingos, 11h.
Auto Retrato 3D com orientação de André Fernandes

19/02 a 27/02
Terça a quinta, das 19h às 21h30.
Pixel Art com orientação de Rafael Nascimento

Março

12/03 a 21/03.
Quartas e sextas, das 13h às 15h.
Crie Sua Estampa com orientação de Joel Melo

26/3 a 04/04.
Quartas e sextas, das 13h às 15h.
Ensaio Visual | Cor com orientação de Joel Melo

 

SOCIAL MEDIA.LAB

Fevereiro

18/02.
Terça, das 15h30 às 18h.
Direitos autorais Abertos: Creative Commons, Copyleft e Domínio público com orientação de Francisco Arlindo Alves

25/02.
Terça, das 15h30 às 17h30.
Pensamento e Tecnologia: a cultura do “Faça você mesmo” com orientação de Francisco Arlindo Alves

Março

11/03 a 27/3.
Terças e quintas, das 10h às 12h.
Redes Sociais com orientação Vanessa Pereira

12/03 a 26/3.
Quartas, das 10h às 12h.
Cursos Online – Crowdlearning com orientação de Vanessa Pereira

 

VÍDEO.LAB

Fevereiro

De 18/02 a 27/2.
Terças a quintas, das 13h às 15h.
Iniciação ao Vídeo Digital  com orientação de Joel Melo

Março

11/03 a 27/3.
Terças e quintas, das 15h30 às 17h30.
Foto-Narrativas: Experimentações em vídeo com imagens estáticas com orientação de Francisco Arlindo Alves

 

GAME.LAB

Fevereiro

19/02 a 28/2.
Quartas a sextas, das  15h30 às 17h30.
Chip Music com Orientação de Eduardo Melo

Março

3/03 e 4/03.
Segunda e terça, das 12h às 14h.
Faça seu Game! com orientação de Vanessa Pereira

Informações sobre vagas e inscrições no site do SESCPSP.

Endereço:
SESC Belenzinho
rua Padre Adelino, 1.000 – São Paulo – SP
Fone:11 2076-9778

Chamada de trabalhos: Arts,Design and Virtual Worlds

Até 20 de abril de 2014 podem ser enviados papers para a chamada de trabalhos “Arts,Design and Virtual Worlds“.

ADVW2014_logo

Arts,Design and Virtual Worlds” é uma sessão especial da conferência Cyberworlds 2014 que acontece na Universidade de Cantabria em Santander (Espanha) no período de 06 a 08 outubro de 2014.

Objetivo é analisar e traçar os novos avanços no campo teórico nos universos da arte e do design, assim como práticas em mundos virtuais.

O trabalho pode (não obrigatoriamente) estar inserido em algum dos tópicos propostos pelos organizadores:

Aesthetics and semantics
Art and heritage in cyberspace, cyber-museums
Artworks, performances, and installations
Brain-computer interfaces
Cognitive informatics
Computer vision, augmented, mixed and virtual reality
Creative and innovative media arts concepts and projects
Cultural heritage within the Web
Cyberethics and cyberlaws
Cybernetics, artificial intelligence, and cognitive-based concepts and practices
Cybersecurity
Cyberworlds and their impact on the real worlds
Data mining and warehousing in cyberworlds
Digital art, digital culture, net art, and digital design
E-learning in virtual collaborative spaces
Edutainment
EEG-based emotion recognition
Haptic interaction and rendering
Human-computer interaction studies and applications
Human-computer interfaces
Human issues/impacts
Information visualization in art and design issues
Imaginary and creative concepts and applications
Innovative Web, Web3D, and multimedia studies and applications
Intelligent talking agents
Multi-user web games
Networked collaboration
Psychology and cognition studies
Shape modeling for cyberworlds
Shared virtual worlds
Social and ethical issues
Social networking
Technologies for teaching art and design
Virtual architecture and heritage
Virtual, augmented, and mixed realities in art and design
Virtual collaborative spaces
Virtual humans and avatars
Visual languages
Virtual metaplasticity, metaplastic virtual worlds

O Cyberworlds é realizado com apoio de organizações como a ACM SIGGRAPH , EUROGRAPHICS Association e a IEICE Type-2 Technical Group Cyberworlds (CW), entre outras.

Mais informações no site do evento

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Exposição Adhocracy discute a nova revolução industrial

Adhocracy” é uma das exposições que se destacam por explorar a chamada “nova revolução industrial” e a transformação radical do design e dos processos de fabricação por meio de inovações como a impressão 3D, sistemas de software abertos e redes distribuídas.

Adhocracy_1

Com curadoria de Joseph Grima, a exposição foi apresentada originalmente na Bienal de Design em Istambul (2012) e posteriormente em Nova York (03/2013). Em Londres (09 e 10/2013) foi adaptada por Thomas Ermacora para ocupar os espaços da Galeria Limewharf, compondo parte da programação do London Design Festival 2013.

Adhocracy_2

O termo “Adhocracy” (utilizado pelo futurólogo Alvin Toffler), foi escolhido pelos organizadores por significar “uma organização sem estrutura que é utilizada para resolver problemas em oposição a uma burocracia”. Com obras originais da África, Europa e Américas “Adhocracy” representa a vanguarda da ecologia de fabricação digital, questionando a própria definição de design.

Conforme Joseph Grima (em tradução livre) o mundo das pessoas que fazem as coisas está em convulsão. O exponencial crescimento de redes de comunicações globais para protótipos digitais de baixo custo transforma radicalmente a vida cotidiana, o que sugere uma nova revolução industrial. Se a última revolução era sobre fazer objetos perfeitos, milhões deles, absolutamente idênticos, esta é sobre fazer apenas um, ou alguns. Seu nascedouro não é a fábrica, mas a oficina, e sua tábua de salvação é a rede.

Em consonância com a perspectiva defendida por Grima, “Adhocracy” propõe que a expressão máxima do design seja cada vez menos um “objeto fechado”, para ao invés disso se transformar no processo em si. Este deslocamento é favorecido pela ativação de sistemas abertos, ferramentas que moldam a sociedade permitindo a auto-organização em plataformas de colaboração que subvertem a competição capitalista, e fortalecem as redes de produção.

O conteúdo da exposição é heterogêneo e com uma abrangencia ampla, abarcando desde a inovação médica à crítica cultural e política, de design de móveis até fabricação de armas. Alguns dos trabalhos e artistas que compõe “Adhocracy” serão destacados e comentados nos próximos posts.

Referências:
Londonist
Adhocracy: Hacking The Design Process In Hackney

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Chamada de Trabalhos: SIIMI/2014

Hoje, 31 de janeiro é o último dia para envio de artigos e posters ao SIIMI/2014III Simpósio Internacional de Inovação em Mídias Interativas que será realizado no Campus II da Universidade Federal de Goiás no período de 14 a 16 de abril de 2014.

SIIMI_2014

A primeira edição do evento ocorreu em 2012, e conforme divulgado pelos organizadores “os convidados e o público discutiram o estado-da-arte da pesquisa e da inovação em mídias interativas nos campos da arte, design, comunicação, música, política cultural e inclusiva, educação, TIC, computação e games, resultando em um panorama global do tema”.

O tema proposto é “Vetores e invenções”.

Mais informações podem ser obtidas no site oficial do evento.

WISH Game Jam: inscrições abertas

De 29 de novembro a 01 de dezembro de 2013 acontece a WISH Game Jam no Centro de Práticas Esportivas da USP (CEPEUSP).

Games_for_Change_logo

Com o tema “Como criar um jogo capaz de informar e promover mudanças em questões ligadas a sustentabilidade no campus?“, a iniciativa é ligada ao projeto WISH (World Innovation and Sustainability Helix) e ao III Festival Games for Change.

Para se inscrever é preciso preencher o formulário de inscrição.

São apenas 30 vagas, com participação gratuita que isenta o pagamento da taxa de R$350,00 para assistir as palestras e debates do Seminário WISH e do Festival Games for Change.

Seguem abaixo informações relevantes sobre o evento divulgadas pelos organizadores:

IMPORTANTE: devido ao formato do evento, só serão aceitas inscrições
de maiores de 18 anos. Os inscritos deverão trazer documento contendo
RG e data de nascimento (p.ex. carteira de identidade, carteira de
motorista), a fim de comprovar sua identidade e idade, caso contrário
não poderão entrar na game jam.

INFRAESTRUTURA:
1) Teremos extensões e tomadas elétricas, acesso a rede wi-fi, mesas e
cadeiras para todos os participantes.
2) Não serão disponibilizados computadores ou outros materiais. Cada
participante deve trazer seus equipamentos, incluindo adaptadores de
tomada se necessário.
3) A sala da game jam ficará aberta durante todo o período do evento,
sempre com acompanhamento de pessoal da organização. No entanto, não
será disponibilizado alojamento ou sala separada para dormir.
4) O CEPEUSP dispõe de vestiários com armários e chuveiros.

AGENDA:
29/11 – Workshop sobre a proposta da game jam e formação de equipes
30/11 – Desenvolvimento da game jam
01/12 – Desenvolvimento da game jam

DATA E LOCAL:
29/11 a 01/12
CEPEUSP – Cidade Universitária
Sala de Ginástica Individualizada

Submissão de trabalhos: I Colóquio Internacional em Mídia Digital

Até 22 de novembro de 2013, o I Colóquio Internacional em Mídia Digital recebe inscrições trabalhos monográficos e práticos abordando o “Televisão e Interatividade”. O evento será realizado de 3 a 6 de dezembro, na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora.

colóquiomídiadigital

Conforme divulgado pelos organizadores o tema “Televisão e Interatividade” e “irá fomentar debates, intercâmbio de ideias e projetos sobre regulamentação, experiências, conteúdos, plataformas e interação na TV Digital. Para tanto, serão realizadas mesas redondas com docentes e profissionais vindos do Peru, do Rio de Janeiro, de São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa, Bauru e Juiz de Fora“.

Mais informações no site do evento.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

III Festival Games for Change América Latina

Nos dias 29 e 30 de novembro acontece o III Festival Games for Change América Latina, evento que aborda como os games podem constituir uma força transformadora da sociedade.

Games_for_Change_logo

Profissionais e pesquisadores de diversas áreas do conhecimento humano vão discutir suas perspectivas sobre o impacto dos games na educação, inovação, e políticas públicas a partir de campos como a realidade aumentada, internet das coisas, computação em nuvem, e mobilidade.

Além de palestras e debates, o festival abrange testes de games em laboratório e oficinas práticas de criação.

O evento é promovido pela rede internacional “Games for Change” e organizado pelo grupo de pesquisa Cidade do Conhecimento da USP.

Mais informações sobre programação e inscrições no site do evento:

gamesforchange.org.br

Referências:

GameStorming
III Festival Games for Change Traz Atividades e Game de Ciências ‘Ludwig’ Por Kao Tokio

Games For Changes
III Festival Games for Change América Latina por David

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Macacos controlam braços virtuais pelo pensamento

Em estudo realizado por um equipe de pesquisadores liderada pelo cientista brasileiro Miguel Nicolelis na Duke University, macacos aprenderam a controlar o movimento de dois braços virtuais somente por meio de sua atividade cerebral.

Os pesquisadores trabalham no desenvolvimento de interfaces cérebro-máquina (Brain-machine interfaces – BMIs) com o objetivo de construir um exoesqueleto que pode ser controlado por tetraplégicos restaurando o sentido do tato e sua mobilidade.

http://www.youtube.com/watch?v=_lzUP052gBo

A movimentação simultânea de dois braços foi avaliada pelos pesquisadores como um grande avanço, tendo em vista que em experiências anteriores só era possível movimentar um braço de cada vez.

Enquanto os macacos aprendiam a controlar o avatar com joysticks, um algoritmo recebia informações sobre as partes do cérebro acionadas, para depois possibilitar a interação sem os joysticks e sem a utilização das mãos.

O experimento registrou a atividade de quase 500 neurônios de várias áreas em ambos os hemisférios cerebrais dos macacos. Conforme publicação da Duke University, este é o maior número de neurônios monitorados até o momento.

A apresentação ao público do primeiro exoesqueleto controlado pelo cérebro está prevista para ser realizada na cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2014.

Referências:

Science
A Brain-Machine Interface Enables Bimanual Arm Movements in Monkeys por Miguel A. L. Nicolelis et all

Duke University Health System
Monkeys Use Minds to Move Two Virtual Arms

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Maquiagem com Leds programável

Space Face LED Galaxy Makeup é uma maquiagem com leds inspirada na constelação de Cassiopeia.

O projeto foi criado por Becky Stern e Risa Rose da Adafruit Industries, empresa de open source hardware que produz kits de eletrônica do tipo faça você mesmo.

Foram utilizados LEDs inteligentes e ultra-brilhantes FLORA NeoPixels, que funcionam conectados a uma placa microcontroladora de 1 polegada de diâmetro denominada GEMMA. A placa e duas baterias que alimentam os LEDS têm o tamanho equivalente a um grampo de cabelo. A GEMMA é programável por meio de uma entrada USB via aplicação Arduino IDE e pode executar o funcionamento dos LEDS em qualquer cor.

No site da Adafruit Industries  foi publicado um guia explicando passo a passo como realizar o projeto.

MAKE
How-To: Space Face LED Galaxy Makeup por Haley Pierson-Cox

Adafruit Industries
Space Face LED Galaxy Makeup #WearableWednesday

Colaborou:  Francisco Arlindo Alves

18º Videobrasil promove debate sobre práticas experimentais em vídeo nos anos 80

Nos dias 16 e 17 de outubro de 2013, dois encontros discutem as práticas experimentais em vídeo nos anos 80 com a participação de importantes nomes da cena brasileira. O seminário é realizado no âmbito dos novos Programas Públicos Videobrasil.

18videobrazil

No primeiro dia, às 20h, o encontro com o tema “Zona de Reflexão | Tudo pode ser um programa de televisão” tem a participação de Zé Celso, Tadeu Jungle, Walter Silveira e Pedro Vieira. Conforme divulgado, o encontro discute entre outros aspectos, “a contribuição do vídeo para a materialização de ideias e questionamentos”.

No segundo dia, às 20h, o tema “Zona de Reflexão | Invadir a programação” é debatido por Goulart de Andrade, Fernando Meirelles, Marcelo Tas e Marcelo Machado. O debate aprofunda a análise sobre práticas experimentais do vídeo nos anos 80.

A mediação é de Gabriel Prioli.

Os encontros são preparatórios aos trinta anos do Videobrasil – mote do 18º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil que tem início em novembro.

Local:
Sesc Pompeia
Rua Clélia, 93
São Paulo – SP

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Fachada do edifício Fiesp-SESI é palco da Mostra Vivacidades: Poéticas Socioambientais

robobees

fonte: Verve cultural

Até dia 30 de setembro, a fachada do edifício FIESP-SESI se transforma numa tela gigante para exibição de obras interativas que compõem a mostra de arte digital “Vivacidades: Poéticas Socioambientais” promovida pela Galeria de Arte Digital do Serviço Social da Indústria de São Paulo SESI-SP.

robobees

fonte: Verve cultural

A curadoria de Marília Pasculli, da Verve Cultural tem como objetivo “provocar a reflexão sobre a relação de suas vidas nas metrópoles e os fenômenos naturais, como o fluxo dos mares, a força dos ventos e as mudanças climáticas”, conforme divulgado pela Agência Indusnet FIESP.
Questões como relações entre consumo, meio ambiente, mudanças climáticas e qualidade de vida dos habitantes de uma megalópole serão abordadas por diferentes perspectivas nas 6 obras que compõem a exposição. São exploradas linguagens artístico-estéticas por meio da interação com tablets, celulares e outros dispositivos, além de experiências de visualização de dados em tempo real.

 

Waterdrops, é uma obra interativa criada por Carles F. Juliá, Daniel Gallardo e Sebastián Mealla, participantes do Music Thecnology Group de Barcelona. A participação do público ocorre por meio da mesa interativa “Reactable” que consiste numa interface multiusuário sensível ao toque. O dispositivo já foi utilizado anteriormente como instrumento musical pela cantora Björk. Neste trabalho, a interatividade da mesa possibilita manipular um quebra-cabeça virtual, com peças que controlam várias fontes de “águas virtuais” exibidas na fachada do prédio. A ideia é despertar uma reflexão sobre como a água pode ser um recurso renovável se utilizado do modo correto.
Em 2008, o grupo já havia realizado um trabalho experimentando as possibilidades da Reactable para controlar intervenções visuais em grandes estruturas arquitetônicas na Torre Agbar.

O Music Thecnology Group reúne pesquisadores de disciplinas diferentes e complementares na Universitat Pompeu Fabra, em Barcelona, para o estudo de temas como processamento de sinais de áudio, descrição sonora e musical, e interfaces musicais. O grupo incorpora conhecimentos provenientes tanto de disciplinas científico-tecnológicas como humanístico-artísticas.

 

SCSD (Smart Citizen Sentiment Dashboard) de Nina ValkanovaMortiz Behrens possibilita que as pessoas se expressem sobre problemas da cidade exibindo o conjunto de contribuições numa linguagem visual simples na fachada do prédio. Durante sua estada em São Paulo, os artistas europeus visitaram o Centro Cultural da Juventude na Vila Nova Cachoeirinha, e o CEU Paraisópolis, locais onde ministraram workshops sobre seu trabalho.
Nina Valkanova é uma artista multimídia e programadora búlgara, especialista em design de interação. Entre outros projetos, ela participou do #myPosition que consiste numa fachada urbana interativa que apresenta uma visualização coletiva de opiniões dos cidadãos. Este trabalho foi produzido em parceria com o Mobile & Physical Interaction Team do T-Labs / TU Berlin e o Institute for Internet and Society de Berlim.
Moritz Behrens é um designer de interfaces alemão, que pesquisa arquitetura de computação adaptativa urbana. Entre seus trabalhos se destaca o projeto multimídia “Screens in the Wild” que explora a conectividade de comunidades na cidade de Londres, permitindo a indivíduos situados em locais separados se comunicarem através de telas em rede colocadas em espaços públicos.

 

Open Enviroment é uma obra apresentada pelo coletivo brasileiro Late! (Laboratório de Arte e Tecnologia). O trabalho, conforme seus criadores, “aponta algumas questões emergentes relacionadas à forma como o fluxo de informação nas cidades é capaz de promover grandes mudanças socioambientais”. O publico participa por meio de redes sociais e dispositivos móveis, para tornar possível “manter um ecossistema virtual que se alimenta deste fluxo de dados”.
O Late! é um laboratório/coletivo que envolve diversas áreas do conhecimento, como a arte, a ciência da computação, eletrônica, música e design. É formado por Kiko Barretto, bacharel em Ciências da Computação e Mestre em Arte e Tecnologia e Carlos Eduardo Batista, doutor em informática (Sistemas Hipermídia).

 

In the Air, dos artistas espanhóis Neréa Calvillo e Martin Nadal, exibe na fachada do prédio, uma visualização de dados sobre a composição do ar na cidade de São Paulo com a utilização de informações disponibilizadas pela CETESB (Companhia do Meio Ambiente do Governo Paulista). Componentes atmosféricos (CO, SO2, NO2, PMO3) são representadas com o uso de diferentes cores.
Neréa Calvillo é arquiteta e especialista em novas tecnologias com projetos voltados a temas ligados à visualização de dados e cartografia.
Martin Nadal é programador e desenvolve projetos no campo da arte e tecnologia.

 

SP Reflections é uma obra do grupo venezuelano Tecné Collective, que apresenta na fachada do prédio a representação de dados atmosféricos da cidade em tempo real, por meio de um conjunto de animações. Informações sobre velocidade e direção do vento, da temperatura e da qualidade do ar, correspondem a variadas cores e padrões visuais .
Com artistas baseados em Madrid, Florida e Miami, o Tecné Collective elabora trabalhos de arte e tecnologia que abordam relações entre espaços físicos e digitais.

 

Mimesis é uma obra produzida pelo laboratório de arte e tecnologia memeLab e a produtora multimídia Grão Filmes. O trabalho propõe aproximar ambiente urbano, da fauna selvagem por meio da projeção de animais selvagens na tela gigante da fachada do prédio da FIESP.

 

Programação

20h às 22h – Obras interativas, alterando em 10 minutos cada.
Open Enviroment – Late!
Waterdrops – Music Thecnologic Group (Carles F. Juliá, Daniel Gallardo e Sebastián Mealla)
SCSD de Nina Valkanova & Mortiz Behrens

22h às 23:30h – Obras de visualização de dados e em vídeo.
In the Air – Neréa Calvillo & Martin Nadal
SP Reflections – Tecné Collective
Mimesis – memeLab + Grão

23h30 ás 06h – Todas as obras transmitidas anteriormente em formato de vídeo (loop)

 

Referências:

FIESP
Galeria de Arte Digital Sesi-SP recebe exposição interativa Vivacidade: Poéticas Socioambientais

Nina Valkanova
#myPosition: Interactive Urban Poll Visualization

Moritz Behrens
screens-in-the-wild

Nova Paraisópolis
Workshop no CEU Paraisópolis vai receber artistas de mostra digital do SESI por Joildo Santos

Music Technology Group – Universitat Pompeu Fabra
Reactable – Genesis of the project

 

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Programa Rumos Itaú Cultural 2013 recebe inscrições

Até 14 de novembro de 2013 o programa Rumos Itaú Cultural recebe inscrições de trabalhos de artistas e pesquisadores que envolvam expressões artísticas e/ou intelectuais, em quaisquer tipos de suporte, formato, área artística ou mídia.

Nesta edição o programa apresenta uma série de mudanças, entre elas, foi estabelecida a não delimitação “de regras e formas de participação por áreas de expressão”, com a eliminação de fronteiras entre áreas, de forma que as propostas podem “ser multidisciplinares ou de uma única área artística ou de pesquisa”, conforme divulgado pelos organizadores.

Nos seus 16 anos de existência a iniciativa já selecionou 1.130 artistas, pesquisadores e produtores nos campos da Arte Cibernética, Artes Visuais, Cinema e Vídeo, Dança, Teatro, Educação, Jornalismo Cultural, Literatura, Música e Pesquisa Acadêmica.

Mais informações sobre as inscrições no site do programa.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Inscrições abertas: FestFilmes – Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro

Até 20 de setembro de 2013, o FestFilmes – Festival do Audiovisual Luso Afro Brasileiro, recebe inscrições de filmes de curta e longa duração em formato digital.

festfilmes

O festival acontece no estado Ceará, no período de 15 a 23 de novembro de 2013. A programação é composta por oficinas, seminários, palestras, exposições, lançamentos de publicações e exibições cinematográficas em diversos municípios cearenses, com mostras competitivas e não competitivas.

Conforme divulgado pelos organizadores, a iniciativa promove o “intercâmbio cultural, social e econômico dos países de língua portuguesa nos diversos continentes, no âmbito das nações que compõem a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP): Angola, Brasil,Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, e Timor Leste“.

Mais informações no site do festival.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves