Conferência Besides the Screen aborda formas de cinema que não são filme

A partir do dia 21 de agosto de 2014, as cidades de Vitoria (ES) e São Paulo (SP) recebem a conferência Besides the Screen, que aborda as “diversas formas de cinema que não são filme”.

besidesthescreen

Parte da programação acontece na Universidade Federal de São Paulo (21-23 de Agosto) e parte na Universidade Federal do Espírito Santo (25-27 de Agosto).

Esta é a primeira edição latino-americana do evento que teve início em Londres em 2010 com “o objetivo de reunir projetos de investigação dedicados a um assunto aparentemente secundário no campo de estudos do cinema: as suas instâncias de distribuição e consumo“, conforme divulgado pelos organizadores.

Participam palestrantes como Sean Cubitt (Goldsmiths’ College, Reino Unido), Erika Balsom (King’s College, Reino Unido), Stefania Charitou (Universidad de las Américas, México), Virginia Crisp (Middlesex University, Reino Unido) e Adnan Hadzi (Goldsmiths’ College, Reino Unido) e Lúcia Santaella (PUC/SP).

Também compõem a programação as seguintes oficinas:

Entre Sensores e Sentidos (Graziele Lautenschlaeger)
Vitória: 26-27/08, 9h, CEPEC/UFES

Construção de instalações de videomapping interativo com Pure Data (Luis Astorquiza)
Vitória: 26/08, 9h, CEPEC/UFES

Desenvolvimento de aplicativos móveis para não-programadores (Luis Astorquiza)
Vitória: 27/08, 9h, CEPEC/UFES

Vídeo Panorâmico Aberto (Larisa Blazic)
Vitória: 27/08, 9h, CEPEC/UFES

Mais informações no site do evento.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Projeto Co_operar apresenta oficinas, laboratório e performances audiovisuais

Em agosto e setembro de 2014, o Projeto Co_operar no Sesc Belenzinho apresenta uma série de oficinas, performances audiovisuais e um laboratório para pesquisas artísticas.

Seguem abaixo a programação divulgada pelos organizadores:

co_operar

 

Agenda:

https://www.facebook.com/cooperaragenda

Programação | Oficinas:

Introdução ao home estúdio | Muep Etmo
Demonstração de diversas maneiras de criar um estúdio caseiro de forma fácil, acessível e individualizada. Para iniciantes ou músicos profissionais que queiram discutir, rever ou ampliar suas possibilidades de produção.
Duração: 4 encontros.
Internet Livre – 15 vagas.
De 05/08 a 08/08. Terça à sexta, das 19h00 às 21h00.

Live multimídia | Giuliano Obici
A oficina apresentará princípios de manipulação de áudio e vídeo e de síntese de som e imagem em tempo real, bem como formas de interação em rede.
Duração: 3 encontros.
Internet Livre – 15 vagas.
12/08 e 14/08. Terça e quinta, das 13h00 às 15h30. 19/08. Terça, das 13h00 às 18h30.

Captura e edição de vídeo em tempo real | Fernando Velázquez
A oficina apresenta técnicas de captura e edição de vídeo em tempo real. Usando câmeras de segurança, serão discutidas formas para a criação de loops de vídeo utilizados numa composição audiovisual coletiva.
Duração: 4 encontros.
Internet Livre – 15 vagas.
De 12/08 a 15/08. Terça a sexta, das 15h30 às 18h30.

Iluminação cênica em novas finalidades narrativas | Mirella Brandi
A oficina aborda as técnicas de luz cênica para pesquisa de processos narrativos subjetivos sem o uso da palavra.
Duração: 4 encontros.
Internet Livre – 15 vagas.
13, 15, 27 e 29/08. Quartas e sextas, das 19h00 às 21h00.

Introdução ao Pure Data
Giuliano Obici. Conheça o PD (pure data), uma linguagem de programação que pode ser utilizada na criação de projetos artísticos utilizando áudio, vídeo e outras linguagens.
16 vagas. Não recomendado para menores de 14 anos.
7/8, das 13 às 15h, e 8/8, das 13 às 18h.

Programação | Performances

Mecânima | DUO b e Fernando Velázquez
Mecânima é uma performance que aborda o universo da música eletrônica de pista a partir da manipulação sonora e visual de objetos de uso cotidiano manipulados ao vivo. Os artistas criam, por meio de recursos digitais e analógicos, uma composição evolutiva em camadas.
Sala de Espetáculos 2. 80 lugares.
Duração: 30 minutos.
19/08/2014. Terça, às 20h30.

Laptop coral | Giuliano Obici
Laptop coralé uma performance audiovisual que utiliza o computador pessoal como simulacro, capaz de executar ao mesmo tempo funções de performer e de instrumento-multimídia. O efeito é um tipo de “performatização midiática”, um simulacro coral.
Sala de Espetáculos 2. 80 lugares.
Duração: 30 minutos.
20/08/2014. Quarta, às 20h30.

Cinza | Mirella Brandi e Muep Etmo
Cinza é uma performance que explora caminhos audiovisuais de imersão narrativa, apropriando-se das instalações imersivas nas artes visuais, da arte sonora, das técnicas de artes cênicas e do cinema expandido para recriar e transportar o espectador por outros caminhos perceptivos.
Sala de Espetáculos 2. 80 lugares. Duração: 30 minutos.
21/08/2014. Quinta, às 20h30.

Performances sonoras

DUO b
O workshop explora técnicas para captação e edição digital de áudio a partir de equipamentos cotidianos para a criação de peças sonoras performáticas.
Duração: 3 encontros.
Internet Livre – 15 vagas.
20 e 22/08, quarta e sexta, das 15h30 às 18h30. E excepcionalmente dia 21/8, quinta, das 13h, às 18h30.

co_opera_livre

Setembro

Introdução ao Arduíno | Luciana Ohira e Sérgio Bonilha
Saiba como utilizar o Arduíno, uma plataforma de prototipagem e de programação open source que pode ser empregada em projetos interativos. 16 vagas.
Não recomendado para menores de 16 anos.
03 a 12/9. Quartas e sextas, das 19h00 às 21h00.

Edição de vídeo: TV remix retro | Francisco Arlindo Alves
A oficina propõe a criação de remixes de arquivos em vídeo da TV brasileira dos anos 60 e 70 com músicas e sons encontrados em plataformas online para livre utilização. Serão utilizados recursos básicos de edição por meio do software livre Kdenlive, com o objetivo de explorar novas interpretações através da recontextualização e recombinação.
16 vagas. Não recomendado para menores de 16 anos.
09 a 18/9. Terças e quintas, das 15h30 às 17h30.

Linguagem sonora | Ines Nin
Oficina introdutória que abordará os elementos da linguagem sonora – ruído, voz, silêncio e música e sua utilização na construção de paisagens sonoras, que aliam som e imagem. 16 vagas. Não recomendado para menores de 16 anos.
09 a 18/9. Terças e quintas, das 19h00 às 21h00.

Introdução ao vídeo digital | Joel Melo
A oficina abordará técnicas, conceitos e ferramentas para criação e edição de vídeo e, também, noções básicas de sonorização para construção de um projeto audiovisual.
16 vagas. Não recomendado para menores de 16 anos.
10/09 a 26/9. Quartas e sextas, das 13h00 às 15h00.

Arduíno e sensores | Luciana Ohira e Sérgio Bonilha
Saiba como utilizar os recursos de prototipagem do Arduíno combinados a sensores que coletam dados externos, como temperatura, luminosidade e outros, para disparar comandos de programação. 16 vagas. Não recomendado para menores de 16 anos.
De 10/09 a 16/9. Quartas e sextas, das 16h00 às 18h00.

Técnicas de animação | Vanessa Pereira
Apresentação de técnicas de animação como o stop motion, pixelation, morphing, estereoscopia, entre outras. Durante os encontros o participante poderá vivenciar a criação de animações em 2D e 3D por meio da utilização de diferentes softwares livres. 16 vagas. Não recomendado para menores de 14 anos.
10/9 a 3/10, quartas e sextas, das 10h00 às 12h00. *no dia 01/10 (quarta) não haverá atividade

Arduíno, Sensores e Pure Data | Jean Habib
Entenda as possibilidades de uso combinado da placa Arduíno, de sensores diversos e da plataforma de programação Pure Data para a criação de projetos artísticos. 16 vagas.
Não recomendado para menores de 16 anos.
17/09 a 26/9. Quartas e sextas, das 19h00 às 21h00.

Local:

Sesc Belenzinho

Endereço: Rua Padre Adelino, 1000.
Belenzinho – São Paulo (SP)
Telefone: (11) 2076-9700
http://www.sescsp.org.br

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Vinyl Terror & Horror: Paisagens sonoras a partir da desconstrução dos discos de vinil

Vinyl Terror & Horror é um projeto que produz paisagens sonoras surpreendentes ao hackear pick-ups, subverter, danificar e destruir discos de vinil.

Fonte:http://thump.vice.com/ Fonte:http://thump.vice.com

As musicistas dinamarquesas Camilla Sørensen e Greta Christensen (radicadas em Berlim) desenvolveram a ideia em 2001. Segundo elas, o conceito surgiu a partir de uma prática visual e escultural que inspirou a desconstrução e rearranjo dos toca-discos e da mídia vinil em todas as formas imagináveis.

O nome Vinyl Terror & Horror resulta da natureza inquietante e caótica dos sons produzidos, com um alto nível de tolerância para possíveis “desastres” ou “acidentes”. Multiplas camadas sonoras são executadas ao mesmo tempo a partir de discos desgastados ou mesmo riscados propositalmente. As composições incorporam a ocasional quebra de agulhas, empurrões feitos de “forma desrespeitosa” nas pick-ups, ou objetos jogados que viram obstáculos para agulha como vidros quebrados ou pedaços de outros discos. Também são utilizados dispositivos de corte de precisão para fazer com que os registros se transformem literalmente num quebra-cabeças .
Na perspectiva do projeto, a composição e o improviso musical geram uma narrativa abstrata que remete o ouvinte a diferentes situações e estados mentais.

Sobre o aspecto visual, Sørensen e Christensen afirmam que muitas vezes as ideias para sons se originam de uma escultura, e às vezes é o contrário.

Referências:

Thump
Vinyl Terror and Horror Are Making The Art of DJing Seriously Weird por Daniel Montesinos-Donaghy

Dangerous Minds
Vinyl terror and horror’s jaw-dropping record manipulations por Ron Kretsch

Contraversao
Hackeando toca-discos para ouvir a música sinistra por Raphal Fernandes

Audition Records
Vinyl Terror & Horror : Deconstructed turntables and cut-up records (entrevista)

Via Neural Magazine

 

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Drop the Beat, kit de bateria eletrônica vestível

Drop the Beat é um colete que funciona como um kit de bateria eletrônica vestível ativado pelo toque. Cada bloco de percussão é incorporado por meio de um sensor e anexado ao colete com a utilização de velcros.

O trabalho é inspirado numa sequência filme do concerto de Laurie AndersonHome of the Brave” de 1986 (segue vídeo).

http://www.youtube.com/watch?v=osHBA6YAHAo

Criado por Wesley Chau, Drop the Beat objetiva oferecer uma roupa personalizável para artistas, músicos e DJs executarem performances que explorem ritmo e som através da interação física de uma forma mais dinâmica.
Referências:

Co.Design
A Touch-Sensitive Drum Kit You Wear Like A Vest por Jordan Kushins

FashioningTech
Interview with Wesley Chau por Carly Whitaker

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

INFRA, subvertendo o controle remoto

A instalação INFRA subverte a função do controle remoto. Ao invés de controlar aparelhos de televisão, um conjunto de 625 controles remotos são controlados para constituir a televisão em si .

A obra do artista Chris Shen, é formada por luzes invisíveis infravermelhas presentes nos dispositivos e só pode ser observada com óculos de visão infravermelho.

Chris Shen construiu INFRA utilizando centenas de equipamentos descartados, neste aspecto segue a linha de outros como Chris Jordan (já abordado aqui anteriormente).

A instalação foi exibida no East London gallery

Referências:

CreateDigitalMotion
I Want My IR TV: A Giant Screen Made of 625 Remote Controls por Peter Kirn

INTERACTIVE DESIGN
Chris Shen – INFRA – A Screen Made of 625 Remote Controls

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Chamada pública: Festival BaixoCentro

Até 22 de fevereiro, projetos e atividades que proponham ocupar regiões ao redor do centro de São Paulo, podem ser inscritos para a chamada pública do Festival BaixoCentro.

Em sua segunda edição, o festival acontece no período de 5 a 14 de abril de 2013, e pretende fomentar discussões sobre os espaços públicos que conforme os organizadores vão “desde a criação de mobiliário urbano, até debates sobre a falta de bebedouro nas ruas”.

As atividades abrangem áreas como música, artes integradas, audiovisual, conversas, debates, laboratório, cultura digital, dança, encontros & passeios, letras, oficinas, performance, e teatro, compondo uma programação diversa que se espalha pelos bairros de Santa Cecília, Barra Funda, Campos Elíseos, Vila Buarque, e Luz.

Entre os vários projetos já inscritos para esta edição, estão por exemplo:

Banheiro do Km 45” de Kelly Alonso Braga. Projeção do curta metragem de 15 minutos em banheiros públicos no centro da cidade.

Muro das Petições” de Cassia Cazita. Pretende trazer para as ruas dezenas de abaixo assinados que estão circulando na rede, levando os participantes do festival a dialogar e se manifestar sobre os mais diversos assuntos de interesse público.

Você Faz o Que da Vida?” projeto audiovisual de Zoe Olivotto. Entrevistas com pessoas no transporte público sobre seus empregos atuais em contraste com o trabalho dos seus sonhos.

Corpos em Ocupação” de Luz da bailarina e ativista Clara Lee e a arquiteta Lina Farje. Performance-instalação que explora iluminação e movimento, focando no desenvolvimento urbano, moradia digna e os processos de gentrificação na cidade de São Paulo.

A edição anterior, realizada em março de 2012 e recebeu mais de 100 propostas de atividades. Mesmo com o pequeno orçamento de R$ 22.000, houve um esforço colaborativo no sentido de fazer com que todos projetos enviados fossem implementados. Neste sentido os organizadores trabalham com o conceito de “cuidadoria”, tendo entre seus princípios “considerar o artista como produtor também, e não como um mero proponente“.

Mais informações no site do Festival
http://festival.baixocentro.org/

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Augmented Structures v2.0

Augmented Structures v2.0 é uma instalação que aproxima a arte e a arquitetura  tendo como base “texturas urbanas” da cidade de Istambul.

O designer Refik Anadol e o arquiteto Alper Derinbogaz  conceberam a obra utilizando conjuntos de dados que se relacionam com a identidade urbana da metrópole. Duas regiões diferentes foram mapeadas, o centro histórico da cidade, e um vasto subúrbio composto por condomínios fechados, e construções residenciais.

Em exibição no Istanbul Modern, Museu de Arte Moderna de Istanbul, o trabalho permite ao visitante visualizar informações geralmente invisíveis que demonstram as singularidades entre as duas regiões da cidade, por meio da combinação de sons e luzes sincronizados em movimentos dispersos.

Referências:

Design You Trust
Refik Anadol + Alper Derinbogaz: Augmented Structures v2.0

Archinet
ShowCase: Augmented Structures v2.0 by Refik Anadol & Alper Derinbogaz

Designboom
Refik Anadol + Alper Derinbogaz: augmented structures v2.0

 

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

 

 

 

Mirage00, miragem interativa

Mirage00 é um instrumento musical inteligente que simula uma ‘miragem’ ao criar uma atmosfera sonora e visual ao redor dos visitantes.

O trabalho foi escolhido para a exposição [the next idea] ORIGIN promovida pelo Festival Ars Electronica até o dia 6 de setembro de 2011, na Áustria.

Criado pelos designers Kouji Ohno, Tetsuya Yamamoto, Nobu Miake e Toshikazu Toyama o dispositivo é composto por um espelho convexo, um projetor, LEDs de várias cores, e um computador.

O comportamento do público, detectado por câmeras e microfones, é convertido em música, imagens projetadas e alteração na iluminação dos LEDs em tempo real, com a utilização de um aplicativo controlado pelo computador. Por meio de uma tela sensível ao toque, o visitante pode pré-configurar padrões de músicas e imagens, ou também interagir durante a execução. O espelho convexo permite que as imagens criadas possam atingir 360 graus de espaço visual.

Mirage00 foi projetado para ser portátil, podendo transformar temporariamente qualquer ambiente em uma pista de dança. O projeto teve apoio do Exploratory IT Human Resources Project (The MITOH Program) conduzido pelo IPA (Information-technology Promotion Agency, Japan).

Referências:

ArsElectronica
Mirage00

o-planning
Mirage00 (site do projeto)

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Light Painting com Ipad para animações tridimensionais

Making Future Magic” é um filme que faz uso da técnica de Light Painting para produzir animações tridimensionais com a utilização de um iPad.

Criado pelo designer e pesquisador Timo Arnall, em conjunto com a consultoria de design BERG, e a agência de comunicação Dentsu London, o trabalho foi realizado por meio da combinação de formas luminosas exibidas num Ipad e registradas por uma câmera em longos períodos de abertura do obturador.

Conforme o iPad era deslocado no espaço, se produziam novas composições tridimensionais de luz, relacionadas à tipografia, objetos e animações.

Arnall, já trabalhou em experimentos semelhantes com light painting como em “Immaterials: light painting WiFi”, obra já comentada aqui neste blog, em que buscou tornar visíveis, dimensões invisíveis de nosso cotidiano como nuvens de dados e comunicações sem fio.

Referência:

Rizhome

The Data Dimension at FutureEverything 2011 por Drew Hemment and Kevin Smith

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Inscrições abertas: Festival Nacional 5 Minutos

Até 25 de julho estão abertas as inscrições para a 14ª edição do Festival Nacional 5 Minutos, que será realizado entre os dias 1º e 5 de novembro de 2011, com uma programação de mostras, seminários, palestras, e oficinas gratuitas que acontecem em diversos espaços de Salvador e do interior do estado da Bahia.

Conforme divulgado pelos organizadores, a iniciativa visa a “seleção e premiação de vídeos com duração de até cinco minutos, de temática e estética livres, com o objetivo de incentivar a experimentação, a produção e a difusão desta linguagem no Brasil”.

Serão distribuídos 30 mil reais em prêmios entre os 50 trabalhos selecionados que vão compor a mostra competitiva do evento.

O evento é apoiado pelo Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), por meio da diretoria de Audiovisual (DIMAS).

Mais informações nos sites:

DIMAS

FUNCEB

SecultBA

Via Movimento Cultural Brasil

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Debtocracy, documentário sobre a crise grega, financiado pelo público

Debtocracy” é um documentário financiado pelo público, que discute as raízes da crise provocada pelo colapso financeiro que atingiu a Grécia.

Os jornalistas Katerina Kitidi e Aris Hatzistefanou realizaram o filme com um orçamento de apenas 8.000 euros levantados através de pequenas doações de amigos, indivíduos dispersos e os sindicatos. Disponibilizado na internet com uma licença Creative Commons, o trabalho já obteve mais de 1 milhão de visualizações.

A obra questiona a responsabilidade da elite política do país e banqueiros, alegando haver uma relação entre a cumplicidade das autoridades e as causas da crise de endividamento.

O sucesso de Debtocracy fez com que o filme adquirisse uma dimensão simbólica nos movimentos de resistência popular ao pacote de austeridade, tendo inclusive despertado o interesse do público em outros países, como por exemplo, na Espanha, em que 4.000 manifestantes participaram de uma exibição na Plaza Catalunya de Barcelona,

Debtocracy pode ser baixado no site:

http://www.debtocracy.gr/

Referências:

Global Voices
Greece: Documentary Film “Debtocracy” Available in English por Filip Stojanovski

The Guardian
Debtocracy: the samizdat of Greek debt por Aditya Chakrabortty

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Seminário Filme, Vídeo e Arte: Compartilhando Experiências

De 25 a 29 de maio, o Itaú Cultural promove o seminário “Filme, Vídeo e Arte: Compartilhando Experiências”. O evento promove debates com a presença de colecionadores, especialistas e representantes de centros culturais e galerias, visando estimular a reflexão sobre a produção de cinema e o vídeo na última década e compreender como as instituições atuam neste contexto.

Conforme divulgado pelos organizadores, o encontro conta com a “participação do Museu de Arte Moderna de Buenos Aires – Mamba, da Jean-Conrad et Isabelle Lemaitre Collection, de Christopher Eamon, de Nam June Paik Art Center, da Electronic Arts Intermix – EAI, de Inhotim, da Galeria Vermelho e do Itaú Cultural“. A mediação é de Pedro França.

Como parte da programação serão exibidos filmes e vídeos da Jean-Conrad et Isabelle Lemaitre Collection, da EAI e do Mamba, e do acervo audiovisual do Itaú Cultural.

A programação completa está no site do Itaú Cultural

Inscrições: Festival Tela Digital 2011

Até dia 30 de junho de 2011, o Festival Tela Digital estará recebendo inscrições para sua edição 2011.

Podem ser inscritos vídeos realizados com qualquer tipo de equipamento: câmeras de vídeos, câmeras fotográficas digitais, celulares ou animações feitas em computador. Os trabalhos devem ter de 3 a 12 minutos de duração, créditos inclusos.

Além distribuibuir 60 mil reais em prêmios, os trabalho selecionados serão exibidos na TV Brasil / EBC e emissoras que fazem parte da Rede Pública de Televisão

O Festival é produzido em parceria entre a Kinoforum e a TV Brasil, e segundo seus organizadores “proporciona a exibição de conteúdos audiovisuais de produção independente na internet e abre um espaço privilegiado para exibição de uma seleção desse conteúdo na TV pública”.

Mais informações sobre o regulamento clique aqui.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Robot Film Festival

A roboticista Heather Knight, pesquisadora do Carnegie Mellon’s Robotics, está organizando um festival de filmes e vídeos, exclusivo para trabalhos que apresentem um robô como um dos personagens principais, ou como dispositivo de enquadramento da narrativa.

O Robot Film Festival acontece em Nova York, e até 5 de junho está aceitando a inscrição de trabalhos com duração de no máximo 8 minutos que se encaixem nesta proposta. Entre os objetivos do evento está injetar um senso de diversão na ciência e engenharia tradicional, incentivar a colaboração interdisciplinar, explorar as fronteiras da robótica e ao mesmo tempo a criatividade dos não-especialistas que podem trazer novos insights.

O festival vai acontecer nos dias 09 e 10 de junho de 2011, no Three Legged Dog Theate, em Manhattan.

Heather Knight também participa do Marilyn Monrobot Labs, que organiza performance com robôs, tendo inclusive apresentado um robô que executou uma performance de stand-up comedy. Por meio de um software, a máquina ajusta seu comportamento conforme a resposta do público.

Mais informações sobre as inscrições no site Robot Film Festival e no twitter robotfilmfest@ .

Referências:

Science Tech
Robot stand-up and comedy with Marilyn Monrobot valuable research (w/ Video) por RZ. Mark

netEX – networked experience
call: Robot Film Festival NY

Rhizome.org
Festival: Robot Film Festival por Heather Knight

Showmetech
Vídeo: um robô craque em Stand-up Comedy por Bruno Martinez

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

“Compressed 01” por Kim Pimmel

Em “Compressed 01“, vídeo criado pelo designer e fotógrafo Kim Pimmel, são registrados numa superfície de água padrões e movimentos estranhamente organizados no deslocamento de partículas ferrosas de um toner para impressora afetadas pela atração de um imã.

O vídeo faz parte de uma série em que Pimmel busca a beleza das forças da natureza por meio de um olhar sobre objetos do cotidiano. O resultado surgiu a partir da seqüência de fotos individuais registradas por uma lente Nikon D90. Foi utilizada uma técnica de Time-lapse, de forma que foi estabelecido um determinado tempo de espera entre cada um dos registros, tornando mais visíveis alterações sutis na movimentação das partículas.

Boing Boing
Time-lapse macro video: ferrous particles in liquid suspension, drawn to magnet por Xeni Jardin

Colossal

Compressed

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Inscrições para o Claro Curtas 2011

De 30 de abril até 17 de junho de 2011, vídeos realizados com celulares, webcams, câmeras fotográficas digitais ou outros dispositivos móveis podem ser inscritos para a edição 2011 do Claro Curtas.

Os trabalhos devem ter duração de 30 a 90 segundos, e abordar o tema “O Tempo do Agora”. A iniciativa irá oferecer mais de 100 mil reais em prêmios, beneficiando vencedores, e também as instituições educativas e sociais vinculadas aos vídeos premiados. Neste sentido, escolas de ensino médio receberão equipamentos de edição de vídeos, universidades receberão um curso de linguagem audiovisual com Philippe Barcinski, e ONGs, pontos de cultura ou cineclubes poderão receber a doação de equipamentos de edição de vídeos.

Para quem está aprendendo, o evento disponibiliza para download gratuito um miniguia com orientações para o aprimoramento na produção de vídeos de curtíssima metragem.

Mais informações no site do Claro Curtas.

via Jornal Teia.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves