P&D Design 2014 tem inscrições abertas para workshops

Até 31 de agosto de 2014, workshops com temas relacionados a sustentabilidade e inovavação podem ser inscritas no P&D Design 2014, que acontece na cidade turística de Gramado, Rio Grande do Sul, entre os dias 29 de setembro e 2 de outubro de 2014.

p&d

As workshops irão compor o DESIS Forum/Showcase com o prof. Ezio Manzini, evento que complementa as atividades do P&D Design 2014. O DESIS Forum/Showcase é uma iniciativa da rede DESIS, fundada por Manzini.

A iniciativa já foi realizada em várias cidades do mundo, e cria um espaço em que “projetos em curso ou recentemente concluídos sobre design para a inovação social são apresentados, e compartilhados para contribuir na formação de um panorama destas iniciativas, bem como ampliar a compreensão de seu potencial transformador no contexto brasileiro e internacional”, conforme divulgam seus organizadores.

Mais informações no site do evento.

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Apicultura Urbana, design e tecnologia abertas

apicultura-urbana-medialab-prado
“Voltar a encher as urbes de flores e abelhas” é o que propõe o projeto Miel de Barrio criado em Madrid.

Seus participantes formam um grupo colaborativo sobre Apicultura Urbana apoiado em iniciativas DIY (Do It Yourself) visando elaborar colmeias “opensource”. A ideia é associar tecnologia abertas, arte, design e sustentabilidade.
O grupo conduz uma série de workshops em maio e junho de 2014 no Foodlab, espaço vinculado ao Medialab Prado que promove iniciativas com objetivo de discutir questões sobre alimentação, tecnologia e sociedade.

Além das atividades realizadas pelo Miel de Barrio, será apresentada uma workshop sobre a Apilink.net, uma plataforma de monitoração permanente de colmeias por meio de diferentes tipos de sensores. Seu funcionamento consiste na coleta automatizada de informações armazenadas num banco de dados que ao ser analisado possibilita identificar padrões fenológicos das colônias. Os resultados das análises fornecem subsídios para planejar o design de ferramentas no intuito de reduzir custos e aumentar a produtividade.

Os projetos abordados neste e no post anterior, demonstram uma tendência de buscar a reflexão sobre problemas das cidades a partir da junção de várias perspectivas, que neste exemplos que vão desde a economia sustentável até a arte contemporânea, com uso de metodologias abertas e participativas como open-source, open-hardware (arduino).

Referências:

Fair Companies
Apicultura urbana, o cómo producir miel en la ciudad por Nicolas Boullosa

Foodlab Medialab-prado
Miel de Barrio: Apicultura Urbana DIY

Miel de Barrio
Presentación de Apilink: Un proyecto de monitorización de datos para colmenas por Tina Paterson

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

WISH Game Jam: inscrições abertas

De 29 de novembro a 01 de dezembro de 2013 acontece a WISH Game Jam no Centro de Práticas Esportivas da USP (CEPEUSP).

Games_for_Change_logo

Com o tema “Como criar um jogo capaz de informar e promover mudanças em questões ligadas a sustentabilidade no campus?“, a iniciativa é ligada ao projeto WISH (World Innovation and Sustainability Helix) e ao III Festival Games for Change.

Para se inscrever é preciso preencher o formulário de inscrição.

São apenas 30 vagas, com participação gratuita que isenta o pagamento da taxa de R$350,00 para assistir as palestras e debates do Seminário WISH e do Festival Games for Change.

Seguem abaixo informações relevantes sobre o evento divulgadas pelos organizadores:

IMPORTANTE: devido ao formato do evento, só serão aceitas inscrições
de maiores de 18 anos. Os inscritos deverão trazer documento contendo
RG e data de nascimento (p.ex. carteira de identidade, carteira de
motorista), a fim de comprovar sua identidade e idade, caso contrário
não poderão entrar na game jam.

INFRAESTRUTURA:
1) Teremos extensões e tomadas elétricas, acesso a rede wi-fi, mesas e
cadeiras para todos os participantes.
2) Não serão disponibilizados computadores ou outros materiais. Cada
participante deve trazer seus equipamentos, incluindo adaptadores de
tomada se necessário.
3) A sala da game jam ficará aberta durante todo o período do evento,
sempre com acompanhamento de pessoal da organização. No entanto, não
será disponibilizado alojamento ou sala separada para dormir.
4) O CEPEUSP dispõe de vestiários com armários e chuveiros.

AGENDA:
29/11 – Workshop sobre a proposta da game jam e formação de equipes
30/11 – Desenvolvimento da game jam
01/12 – Desenvolvimento da game jam

DATA E LOCAL:
29/11 a 01/12
CEPEUSP – Cidade Universitária
Sala de Ginástica Individualizada

Sampa CriAtiva recebe propostas para melhorar a cidade de São Paulo

Até 31 de dezembro de 2012, propostas para melhorar a cidade de São Paulo podem ser enviadas para plataforma Sampa CriAtiva iniciativa promovida pela Fecomercio, Sesc e Senac.

sampacriativa

As ideias podem ser inseridas em dos cinco eixos: governar juntos, negócios, inovações sociais, nas ruas, e diálogos. Conforme divulgado pelos organizadores, o “Sampa CriAtiva encaminhará semanalmente a representantes da Prefeitura e da Câmara de Vereadores um relatório com as propostas publicadas. O relatório também será enviado aos parceiros de Sampa CriAtiva”.

Entre os parceiros da iniciativa estão a Associação Viva o Centro, Catraca Livre, Centro da Cultura Judaica, Cidade Democrática, e o Instituto Europeo di Design.

A plataforma Sampa CriAtiva funciona como canal colaborativo, que além de receber propostas, publica e divulga exemplos de projetos bem sucedidos que transformaram outras cidades do Brasil e do mundo.

Mais informações no site da plataforma.

http://www.sampacriativa.org.br/

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Eco DIY Collection

Eco DIY Collection é uma série de produtos com inspiração “DIY” (Do It Yourself / faça você mesmo) que podem ser montados pelos usuários por meio de simples instruções que constam na embalagem.eduardo_alessi-deer2
Tendo papelão reciclado como material estrutural, as peças criadas pelo designer italiano Eduardo Alessi, se caracterizam por ter como base uma única folha 2D plana.
eduardo_alessi-deer
Na montagem a folha pode ser facilmente dobrada conforme os entalhes e vincos determinados, sem cola ou corte.
eduardo_alessi-elephant2eduardo_alessi-elephant

 

Todos os projetos seguem uma tendência eco-friendly. Além do uso de papelão reciclado na estrutura, as partes elétricas foram desenvolvidas para conseguir uma maior eficiência no consumo de energia, sem o uso de baterias. A série é composta por cinco animais ameaçados de extinção: o cervo, a coruja, o elefante, a girafa e o rinoceronte.

 

Referências

1 Design Per Day
DIY Animals Collection by Eduardo Alessi

Revista de Design social
Coleção Eduardo Alessi/Eco DIY, feita de papelão reciclado por Jessica Zannori

 

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Projeto sistemas/ecos ocupa a Praça Victor Civita em SP

Até 18 de junho de 2013, o Projeto sistemas/ecos apresenta na Praça Victor Civita, em São Paulo, uma exposição com foco na convergência entre arte, design e meio-ambiente. A entrada é gratuita.
pcvictor
Abrangendo performances e instalações, o evento exibe obras dos artistas Maurício Dias & Walter Riedwig, Sonia Guggisberg, Lucas Bambozzi e Rejane Cantoni & Leonardo Crescenti. Também compõem a programação, apresentações de live cinema, e de música experimental dos artistas Cristiano Rosa e Dudu Tsuda.

O projeto surge a partir da pesquisa da artista Sonia Guggisberg, que tem como objeto o Subsolo. A hipótese proposta é que “as histórias subterrâneas, enterradas, nunca terminam mesmo quando soterradas e relegadas à invisibilidade uma vez que sobrevivem como resíduos do passado e como metáforas cognitivas redesenhando as redes de relações na cidade“. O  estudo da Praça Victor Civita e as contaminações no seu solo deu origem ao Projeto sistemas/ecos.

A programação pode ser conferida no site do evento.

Via Fotografia Contemporânea e Catraca Livre

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Documentário sobre design open source e comunidades auto-sustentáveis

The Spark é um documentário que aborda soluções sustentáveis propostas em projetos de comunidades intencionais no meio urbano e de tecnologias com design open source num ambiente rural.

Dirigido por Ian Midgley, o trabalho enfoca as dificuldades e oportunidades de dois projetos: Open Source Ecology e Our School at Blair Grocery.

Open Source Ecology (já abordado aqui anteriormente) é uma rede de agricultores, engenheiros, e apoiadores fundada pelo físico Marcin Jakubowski no Missouri. Seu principal objetivo é o GVCS (Global Village Construction Set) uma plataforma DIY voltada ao desenvolvimento de equipamentos para agricultura com design modular open source, caracterizados pelo baixo custo e alto desempenho. A plataforma abrange um conjunto de 50 ferramentas modulares e fáceis de replicar podem ser usadas ​​em comunidades sustentáveis. Entre elas, o protótipo de um trator, uma prensa para fabricar tijolos, uma unidade de energia hidráulica modular e uma retroescavadeira.

Our School at Blair Grocery é uma iniciativa do professor Nat Turner que após o furacão Katrina saiu de Nova York para fundar uma escola alternativa no local de um supermercado abandonado em New Orleans. Direcionada a jovens em situação de risco, a instituição ensina seus alunos a produzir alimentos, e os remunera com a venda para restaurantes locais. O objetivo é constituir um centro de educação para sustentabilidade que desenvolve habilidades sobre técnicas de agricultura urbana ensinando também como tornar esta atividade economicamente viável.

Financiado colaborativamente com apoio da plataforma de crowdfounding Kickstarter, The Spark analisa como a determinação de indivíduos Marcin Jakubowski e Nat Turner pode produzir mudanças importantes.

Mais informações no site do documentário

Referências:

Computerworld
Using open source to build sustainable communities por Rohan Pearce

P2P Foundation
The Spark: documentary about p2p resilience and thrivability experiments por Michel Bauwens

The Huffington Post
Our School at Blair Grocery

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Coal Power Plant Mutation: arranha-céus contra a poluição

O projeto Coal Power Plant Mutation propõe a construção de arranha-céus de 1000 metros de altura, como uma abordagem inovadora para diminuir a poluição gerada por usinas de energia movidas a combustíveis fósseis.

Fonte: evolo.us

As estruturas gigantescas propostas pelo arquiteto romeno Bogdan Chipara seriam construídas ao redor de uma usina de carvão para minimizar o impacto dos resíduos nocivos jogados na atmosfera.

Fonte: evolo.us

A idéia é criar uma alternativa enquanto não são implementadas energias verdes para substituir estas centrais térmicas, que atualmente respondem por 85% do mercado global de energia, segundo dados divulgados por Chipara.

A estrutura é composta de três pernas longas e tubulares com um volume de quase 10 milhões de metros cúbicos. São equipadas com vários tipos de filtros de ar de diversas densidades em diferentes alturas.  Os filtros inferiores usam técnicas sintéticas para fixação de dióxido de carbono e os superiores funcionam como bio-filtros.

Desta forma, se diminui os efeitos tóxicos da emissão de gases poluentes que saem de grandes chaminés em virtude do processo de combustão do carvão. Nas usinas convencionais, os gases reagem com a atmosfera produzindo ácidos nítricos, sulfurosos e sulfúricos que caem em forma de chuva.

Uma “pele” de 300.000 metros cobre toda a parte superior. À prova d’água e composta com elastômero (polímero que apresenta propriedades elásticas), esta malha isola gases e vapores, evitando a chuva ácida, além de ser equipada com células fotovoltaicas e sensores para monitorar a qualidade do ar.

Tendo em vista que na maioria das vezes estes complexos energéticos se localizam perto de grandes cidades, a estrutura é iluminada por LEDs, que brilham em padrões verticais, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre suas demandas de energia e seus impactos.

O trabalho recebeu uma menção honrosa no “eVolo’s 2012 Skyscraper Competition“, premiação especializada em arquitetura para “arranha-céus”, que reconhece projetos que utilizem, entre outros aspectos, novas tecnologias, sistemas sustentáveis, considerando os impactos econômicos, sociais e culturais no meio urbano.

Referências:

Bustler
Coal Power Plant Mutation by Bogdan Chipara

eVolo
Coal Power Plant Mutation

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Chris Jordan: crítica à sociedade de consumo

Chris Jordan é um artista e fotógrafo com trabalhos exibidos em várias exposições ao redor do mundo, abordando o fenômeno do consumismo desenfreado.

Running the Numbers: An American Self-Portrait“, sua série mais recente, iniciada em 2006, examina os efeitos cumulativos da cultura americana contemporânea buscando um novo olhar sobre como as estatísticas sobre o tema são percebidas.

Cada imagem retrata uma quantidade específica de algo em grande escala, por exemplo, “The Moon“, de 2011, (Imagem acima) é formada por 29.000 cartões de crédito, que seria equivalente ao número médio de pedidos de falência pessoal a cada semana nos EUA em 2010. Em “Barbie Dolls“, de 2008, 32.000 bonecas Barbie compõem a imagem, número que equivale a quantidade de cirurgias de aumento de mama realizadas mensalmente nos EUA em 2006. Em “Seurat” (imagem acima), de 2007, 106.000 latas de alumínio, equivalem a trinta segundos de consumo de latas no país.

Conforme explica em seu site, a intenção de Jordan é que as imagens que representam as quantidades possam ter um efeito diferente do que os números brutos por si só.  Em sua visão, as estatísticas são percebidas de um modo abstrato, o que torna difícil o entendimento de seus significados.

Sua série anterior “Intolerable Beauty: Portraits of American Mass Consumption“, produzida de 2003 a 2005, provoca uma reflexão sobre a enorme quantidade de detritos acumulados pela sociedade de consumo de massa.

Os conjuntos quase infinitos de aparelhos celulares, carregadores para celulares, placas de computador, entre outros dispositivos, demonstram a imensa escala de consumo, que é retratada na visão de Jordan, como algo desolador, macabro, estranhamente cômico e irônico, e até mesmo sombriamente bonito.

Atualmente o artista produz o documentário “Midway“, inspirado em sua experiência como fotógrafo em uma ilha no oceano pacífico na qual encontrou vários bebês albatrozes mortos com os corpos cheios de pedaços de plástico.

Chris Jordan nasceu em São Francisco em 1963, e atualmente vive em Seattle.

Referências:

Wired
Plastic-Filled Albatrosses Are Pollution Canaries in New Doc por Jakob SchillerEmail

Revista Select
Quanto pesa uma vida sem fio? A dimensão política dos celulares não se esgota no seu uso por Giselle Beiguelman

Core77
Running the Numbers: An American Self-Portrait by Chris Jordan por Jeannie Choe

Orion Magazine
Photographs by Chris Jordan (interview) por Jörg Colberg

 

A partir de dica de Andrea Fonseca (Sesc Belenzinho)

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Convocatória Internacional Interactivos?’12

Até dia 18 de agosto podem ser realizadas inscrições para a convocatória Interactivos?’12 Nuvem que vai selecionar 5 propostas para residência no hacklab rural em Visconde de Mauá (RJ) entre 1 e 17 de novembro 2012.

Realizada pelo Medialab-Prado em parceria com o projeto Nuvem.tk, a iniciativa é direcionada a pesquisadores, profissionais e amadores com projetos ligados às áreas de “comunicação, agricultura, alimentação, água potável, saúde, energia, transporte, bio-construção, desde uma perspectiva rural”.

Conforme divulgado pelos organizadores, a proposta tem como foco a “intersecção das culturas hacker e rural para o desenvolvimento de projetos que permitam uma vida mais autônoma“. O intuito é “viabilizar ideias que facilitem a reocupação do campo, a produção e distribuição de alimentos saudáveis, a integração social das comunidades existentes, o compartilhamento dos conhecimentos tradicionais, a soberania energética e outros efeitos benéficos na comunidade“.

Será oferecido transporte, hospedagem, alimentação, ajuda de custo e apoio técnico para a elaboração dos projetos.

Mais informações no site do Medialab-Prado ou do Projeto Nuvem (em português).

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Nanotecnologia possibilita painéis solares e janelas auto-limpantes

Pesquisadores da Tel Aviv University desenvolveram um novo nano-material que repele a poeira e água, e pode ser aplicado como um revestimento para auto-limpeza de janelas, painéis solares e telhados.



Floresta de peptídeos

A capacidade de geração de energia de painéis solares pode ser até 30 por cento menos eficaz em função da acumulação de poeira e sujeira. Ao mesmo tempo a limpeza realizada manualmente de painéis, telhados e calhas expõem indivíduos ao perigo de quedas e acidentes.

A descoberta aconteceu acidentalmente numa pesquisa sobre doença de Alzheimer. Publicado na Nature Nanotechnology, o estudo foi realizado pela estudante Lihi Adler-Abramovich e a equipe de pesquisa do Prof. Ehud Gazit do Departamento de Microbiologia Molecular e Biotecnologia da Tel Aviv University.

O material pode ser produzido por meio de uma nova forma de controle dos átomos e das moléculas de peptídeos que “crescem” gerando estruturas de peptídeos (polímeros de aminoácidos) que se assemelham a forma de aglomerados de grama. Denominadas pelos pesquisadores como “florestas de peptídeos” estas estruturas de nano-tubos que podem suportar temperaturas extremas e repelem a água e a poeira formando um revestimento auto-limpante perfeito.

Referências:

Nature.com
Self-assembled arrays of peptide nanotubes by vapour deposition por Lihi Adler-Abramovich1, Daniel Aronov, Peter Beker, Maya Yevnin, Shiri Stempler, Ludmila Buzhansky, Gil Rosenman e Ehud Gazit.

Inhabitat
New Nano-Material Paves Way for Self-Washing Solar Panels and Windows por Sarah Parsons

The Institute of Nanotechnology
Novel Coating Gives Self-Cleaning Windows

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Cientistas anunciam painéis de energia solar mais baratos

Um grupo de pesquisadores das Universidades de Sheffield e Cambridge na Inglaterra anunciou nesta semana um novo processo que torna muito mais barata e simplificada a produção em massa de dispositivos para energia solar.

O estudo publicado no Journal Advanced Energy Materials, apresenta um método para fabricação de células solares sobre uma película de polímero aderente por meio de impressão. Os filmes de células solares que foram desenvolvidos são mil vezes mais finos do que a largura de um cabelo humano.

Além de baratos, são leves e facilmente transportáveis, o que permite que uma produção em grande escala de painéis solares possa cobrir áreas extensas tornando esta energia renovável muito mais viável e eficiente.

Referências:

Inhabitat
New Printable Cling-Film Solar Cells are Cheap and Easy to Produce por Brit Liggett

Process and Control Today
‘Cling-film’ solar cells could lead to advance in renewable energy

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Tales of Things, memória digital dos objetos da vida real

O projeto Tales of Things oferece uma maneira rápida de efetuar a conexão entre qualquer objeto físico e as lembranças referentes a ele, sejam elas registradas em qualquer mídia, para poder compartilhá-las essas memórias online.

O sistema permite o acompanhamento de um objeto, mesmo depois de ser repassado para outra pessoa.

Em uma economia permeada por uma cultura da descartabilidade, a ideia utiliza as potencialidades da chamada Internet das Coisas para incentivar os indivíduos a valorizar seus próprios objetos, e reflitir sobre possíveis novos usos para coisas “velhas” antes de jogá-las fora.

O armazenamento de informações, e a conexão com a plataforma online funcionam com auxílio de QR Codes (códigos de barras bidimensionais que podem representar dados alfanuméricos como um endereço de web) ou etiquetas RFID (etiquetas que possuem chip e memória em seu interior, podendo se comunicar com o exterior por meio de sinais de rádio).

Recentemente foi realizada The Curiosity Shop, uma parceria entre o projeto e a Oxfam, ONG que atua no combate a pobreza no mundo. Através da iniciativa, foram colocadas a venda roupas doadas por pessoas conhecidas como Annie Lennox, Colin Firth, Helen Mirren e Kate Moss. Cada item tinha uma etiqueta com um QR Code, que indicava links relatando como o dinheiro arrecadado poderia dar suporte e capacitar mulheres em situações vulneráveis.

Relatos feitos pelas celebridades que doaram os itens também foram associados às roupas, como por exemplo, o vestido que Annie Lennox usava na festa de aniversário de Nelson Mandela em Londres nos anos 90 (no vídeo abaixo).

Entre os muitos objetivos propostos pelo Tales of Things, está a promoção de uma aproximação entre pessoas pelo compartilhamento de experiências semelhantes, e o favorecimento de uma maior compreensão do passado dos objetos pelas gerações futuras. A ideia faz parte do projeto TOTeM que explora a memória social no contexto da Internet das Coisas.

Referências:

Digital Urban
QRCodes, Sociable Objects & RFID – The Oxfam Curiosity Shop in Selfridges por Smithee

Inovação Tecnológica
Tecnologias do futuro: Domótica e Internet das Coisas

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Open Source Ecology: uma agricultura open source

Open Source Ecology é uma rede de agricultores, engenheiros, e apoiadores, cujo principal projeto é o GVCS (Global Village Construction Set) uma plataforma open source de baixo custo e alto desempenho tecnológico voltada para agricultura.

Por meio do incentivo ao método “faça você mesmo” (DIY- Do It Yourself), a iniciativa tem por objetivo a fabricação de 50 diferentes máquinas industriais que buscam unir conceitos de sustentabilidade e os confortos proporcionados pelas tecnologias modernas.

A estrutura do GVCS funciona como um jogo de Lego. Cada uma das máquinas possui peças intercambiáveis, motores e unidades de alimentação. Entre as máquinas em desenvolvimento está um pulverizador do solo, um trator e uma máquina de fazer tijolos.

O projeto tem sede no estado do Kansas (EUA) e foi fundado pelo físico Marcin Jakubowski. Já existe uma comunidade de colaboradores oriundos de diversas disciplinas, que seguem um planejamento detalhado, que identifica necessidades da comunidade, efetua uma avaliação de métricas, e direciona um processo de prototipagem com diversas etapas, desde a concepção até a elaboração num software do tipo CAD, e testes de fabricação considerando todas as propriedades desejáveis. Há uma descrição detalhada de todas as fases em “30-step development template”.

É possível saber mais pelo blog e wiki do projeto.

http://openfarmtech.org/wiki/Global_Village_Construction_Set

The Pop-up City
DIY Village Construction Set (Stir In Some Arduino) por Ajantriks

Huffington Post
Meet TED Fellow Marcin Jakubowski, Groundbreaking Farmer and Technologist por Tom Rielly

MAKE
Open Source Ecology: Interview with Founder Marcin Jakubowski por Goli Mohammadi

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Climate Dress, vestido com sensor de dióxido de carbono

Climate Dress é um vestido que monitora o nível de dióxido de carbono no ambiente ao seu redor. A peça possui 100 pequenos leds ligados por linha de costura condutora, um microprocessador Arduino Lillypad, e um sensor de Co2.

Conforme o nível de dióxido de carbono detectado, o vestido se ilumina e revela diferentes padrões de luz, que podem pulsar de modo mais lento ou mais rápido.

A idéia é fruto da colaboração do estúdio de design Diffus de Copenhague, da companhia têxtil Suíça Forster Rohner, da Danish School of Design e do centro de pesquisas dinamarquês Alexandra Institute.

Por meio de uma representação estética, a peça faz com que a poluição se torne em algo mais fácil de visualizar e compreender, contribuindo para o aumento da consciência em relação aos problemas ambientais.

Referências:

Talk2MyShirt

Climate Dress – CO2 sensing fashion por Eric

InfraBodies
CO2 Sensing Climate Dress by Diffus

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Ações para melhorar as cidades

Actions: What You Can Do With the City” é uma exposição promovida pelo Canadian Centre for Architecture (CCA), que consiste na apresentação de 99 pequenas ações que instigam mudanças positivas nas cidades contemporâneas.

A iniciativa inclui projetos relacionados à produção de alimentos e agricultura urbana, o planejamento e a criação de espaços públicos para fortalecer interações com a comunidade, a reciclagem de prédios abandonados para novos fins, a apropriação dos espaços urbanos para o terreno esportes, como futebol, skate escalada, parkour ou, o uso alternativo de estradas ou linhas férreas para caminhadas, centros de adoção de Plantas, construção de playgrounds portáteis e criação de estacionamentos-dormitórios.

A partir da exposição, foi criada uma divertida lista de 250 mini ações com sugestões enviadas por pessoas de várias partes do planeta com o objetivo de transformar o ambiente urbano e propor modos alternativos e interessantes de utilizar a cidade. O projeto ainda está aberto e pretende promover ampliação da lista com sugestões de usos alternativos ou originais de equipamentos da cidade.

O Canadian Centre for Architecture (CCA) foi fundada em 1979 como uma instituição cultural que promove a conscientização sobre o papel da arquitetura na sociedade, fomenta a pesquisa acadêmica na área, e estimula a inovação nas práticas de design.

Referências:
E-flux
Canadian Centre for Architecture (CCA)

Arkitera.com
Actions: What You Can Do With the City

Architecture Today
My Kind of Town poe Mirko Zardini

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Edital Esculturas Urbanas

Até 31 de março de 2011 estão abertas inscrições para o edital Escultura Urbanas, promovido pela Tetra Pak com o intuito de promover a reflexão a respeito de questões ligadas à sustentabilidade e a responsabilidade social por meio do incentivo à criação de projetos de escultura e/ou obras tridimensionais dentro do espaço urbano.

Conforme informação divulgada pelos organizadores “o projeto tem abrangência nacional e é voltado a estudantes regularmente matriculados e cursando a graduação (a partir do segundo ano letivo) ou pós-graduação em artes plásticas e visuais, arquitetura e design gráfico e industrial. O Edital fomentará a criação de 15 esculturas ou obras tridimensionais elaboradas com materiais provenientes da reciclagem de embalagens Longa Vida da Tetra Pak“.

Os projetos serão executados em São Paulo e serão expostos na Praça Victor Civita, entre 29 de julho e 25 de setembro de 2011. A inscrição é gratuita e pode ser feita no site:
http://www.esculturasurbanas.com.br/site/

Dica da Giselle Beiguelman

Windowfarms

Windowfarms é um projeto que objetiva permitir que habitantes de centros urbanos possam cultivar alimentos para seu próprio consumo em janelas de apartamentos ou de escritórios, por meio de jardins verticais feitos com materiais reciclados.

O Projeto foi iniciado pelas artistas nova-iorquinas Britta Riley e Rebecca Bray, em 2009, como parte de seu trabalho de pesquisa sobre soluções ambientais colaborativas R&D-I-Y (Research & Development -It-Yourself).

Baseado no trabalho de Riley e Bray, foi concebida uma versão finlandesa do projeto por Mikko Laajola, Andrew Paterson Gryf e Niko Punin. A iniciativa adotou a tecnologia de leds para ajudar o crescimento das plantas e implementou o design de uma estrutura de monoblocos para acondicioná-las. A partir destes desenvolvimentos, surgiu a idéia de uma instalação que foi exibida no Pixelache Helsinki Festival 2010, e integrou parte do Herbologies/Foraging Networks, um programa Finlandês-Letoniano, que explora uma rede de intercâmbio de tradições culturais e conhecimento de ervas comestíveis e plantas medicinais.

Referências:

Beyond The Beyond
Wanna build your own window farm? por Bruce Sterling

Networked_Performance
Network for Art and Renewable Energy Technologies por Jo-Anne Grenn

Pixelache
The Making of Windowfarms Finland

Colaborou: Francisco Arlindo Alves

Roadmap 2050

eneropa

O projeto Roadmap 2050 propõe a criação de uma enorme rede que interconecte a energia originada de fontes renováveis em todo continente europeu, de modo que as flutuações sazonais de energia destas fontes (como o sol ou o vento), possam ser compensadas entre si, constituindo um recurso único e constante.

Referência:

Guardian.co.uk

Roadmap 2050 by Rem Koolhaas’s OMA